A Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) ganharia as eleições ao parlamento com 39 deputados, deixando o Partido Democrático Europeu Catalão (PDeCAT), a antiga Convergência, na segunda posição com 23 lugares, revela uma sondagem divulgada hoje.

O inquérito coloca os Ciutadans (Cidadãos, antinacionalista) na terceira posição com 22 deputados.

A sondagem, que será divulgada domingo na edição impressa do diário La Vanguardia mas foi hoje inserida na sua página digital, assinala que a soma dos três partidos independentista (ERC, PDeCAT e Candidatura de Unidade Popular, CUP), ficaria reduzida a 68 deputados face aos 72 que garantem atualmente, após as eleições de setembro de 2016.

Com este número de parlamentares, conseguiriam manter um bloco maioritário no hemiciclo da comunidade autónoma, com a vantagem de um lugar. O Catalunya Sí Que es Pot (Catalunha, sim, pode, CSQP na sigla, de tendência esquerda alternativa) conseguiria 16 lugares, o Partido Socialista Catalão (PSC) 15, o Partido Popular (PP) 14, e a CUP seis, segundo a sondagem.

O estudo, realizado entre 07 e 12 de abril não permite comparar os resultados com as anteriores eleições ao parlamento, quanto a Convergência e a ERC se apresentaram em coligação (Junts pel Sí, Juntos pelo Sim), que conseguiu 62 lugares, os mesmos que somariam agora as duas formações em separado.

No caso da CUP, passaria de 10 a 6 lugares, os Ciutadans perderiam três (de 25 a 22), o CSQP conseguiria 16 face aos atuais 11, o PSC perderia um (15 face aos 16) e o PP aumentaria a representação de 11 para 14 deputados.

O La Vanguardia assinala que o retrocesso do PDeCAT, liderado por Artur Mas, se evidencia nos resultados da extinta Convergência e União (CiU) nas eleições autónomas de 2012, quando garantiu 50 lugares.