O Benfica reagiu esta segunda-feira, através de comunicado, aos polémicos cânticos que a claque afeta ao clube da Luz entoou no dérbi de andebol que se disputou este fim-de-semana. No mesmo documento, os ‘encarnados’ pedem calma para o jogo de sábado, com o Sporting, a contar para o campeonato nacional de futebol.

Em comunicado o Benfica volta a reagir aos cânticos “lamentáveis e inqualificáveis”dos seus adeptos e apelida como “comportamento inaceitáveis” e “repudia” as atitudes levadas a cabo por um grupo de adeptos. Ainda assim o clube da Luz aproveita para fazer referência a cânticos que as claques do Sporting terão entoado relativas a Eusébio. Mas afirmam, no entanto, estarem “certos nada tem a ver com a instituição Sporting Clube de Portugal.”

Em contagem regressiva para o dérbi que irá opor as duas equipas em Alvalade no próximo sábado, o Benfica aproveitou o presente comunicado para a apelar ao fair play entre os clubes:

O Sport Lisboa e Benfica aproveita para testemunhar a sua confiança, de que a exemplo da história comum centenária, o dérbi do próximo fim de semana será mais um momento de festa, convívio e sã rivalidade e competição entre os atletas e adeptos dos dois clubes.”

Pode ler aqui o comunicado na íntegra:

“O Sport Lisboa e Benfica tal como de imediato reagiu na noite de sábado, repetimos como de imediato reagiu, repete o repúdio e a condenação de forma veemente sobre os lamentáveis e inqualificáveis cânticos de um grupo de adeptos do nosso Clube.
São comportamentos inaceitáveis, que merecem uma pública condenação, tais como os insultuosos cânticos à memória de Eusébio que foram feitos pela claque de outro clube e que estamos certos nada tem a ver com a instituição Sporting Clube de Portugal.
O Sport Lisboa e Benfica aproveita para testemunhar a sua confiança, de que a exemplo da história comum centenária, o dérbi do próximo fim de semana será mais um momento de festa, convívio e sã rivalidade e competição entre os atletas e adeptos dos dois clubes.”

O cântico em questão: “Foi no Jamor que o Lagarto ardeu” entoou pelo Pavilhão da Luz no passado fim de semana. O som era proveniente de um grupo organizado, mas não legalizado, afeto ao Benfica: os No Name. Este cântico fazia uma clara referência à morte de Rui Mendes, um adepto do Sporting morto em 1996 na final da Taça de Portugal, no Estádio Nacional, Jamor, por um very light, lançado por um adepto do Benfica, Hugo Inácio.

A reação do FC Porto

As redes sociais foram o palco onde a polémica mais de alastrou, no entanto as reações também surgiram de rivais. O FC Porto, pelo seu diretor de comunicação Francisco J. Marques, que condenou o ato dos adeptos do Benfica. Recorde-se que o FC Porto também esteve sob polémica nos últimos dias depois de a calque dos Super Dragões terem entoado um cântico onde fazia uma referência ao trágico acidente que vitimou praticamente toda a equipa da Chapecoense.