O que é um zootrópio, para que serve um ‘storyboard’ e como funciona uma lanterna mágica são perguntas que podem ser respondidas, a crianças e adultos, pela Cinemateca Júnior, a celebrar dez anos de atividade. A funcionar desde abril de 2007, no Palácio Foz, em Lisboa, a Cinemateca Júnior desdobra-se em ateliers, oficinas de cinema e imagem em movimento, sessões de cinema e visitas guiadas para escolas e famílias, em torno da história da sétima arte.

A ideia é “pôr os miúdos a pensar o que é o museu do cinema e o que é a história do cinema, uma imagem, um filme; como se aprende a ver o filme e a despertar o desejo e a paciência de saber ver, olhar para um filme”, afirmou à agência Lusa a programadora Neva Cerantola, que está ligada à Cinemateca Júnior desde a génese.

Durante a semana – e também nas férias escolares, com as da Páscoa que estão a chegar ao fim -, a Cinemateca Júnior acolhe grupos de crianças e jovens para diferentes oficinas, que ensinam, por exemplo, o bê-a-bá da escrita e realização de um filme. E os espaços do Palácio Foz servem de cenário para por a imaginação à prova. “Estamos a ter uma oficina sobre filmes e realização. Estou a gostar muito porque sempre achei interessante mexer nas câmaras e gravar coisas e então é a oficina perfeita para mim. Já vimos filmes, já tivemos a fazer um filme cada um de nós e agora estamos a fazer um filme em conjunto”, disse Gaspar, de 11 anos, à agência Lusa, depois de ter sido interrompido numa oficina na qual era o realizador.

Para Neva Cerantola, o que mais a surpreende nesta década de trabalho é a reação de quem vê pela primeira vez cinema numa sala como a do Palácio Foz, com mais de 50 anos, e depois tem oportunidade de ficar a falar ou a desenhar sobre o filme que viu.

“Eu acho que há muitos pais que escolhem a Cinemateca Júnior por ser um espaço diferente de outras propostas que há na cidade; podem ter acesso a objetos, conversar, sem ter outras distrações. Isto tem outro tempo. Tudo isto é um bocadinho diferente. É um cantinho especial que se encontra na cidade”, disse Neva Cerantola.

A programação que celebra os dez anos da Cinemateca Júnior decorre durante o mês de abril, mas terá especial destaque no sábado, dia 22, um dia de portas abertas, com entrada gratuita. No âmbito das celebrações, está ainda previsto, na sede da Cinemateca, um encontro dedicado às múltiplas vertentes da relação entre o cinema e a educação.