A Citroën dá agora a conhecer, de forma oficial e em antecipação à apresentação mundial agendada para o próximo Salão Automóvel de Xangai, o novo SUV topo de gama da marca do double chevron – o Citroën C5 Aircross. Quanto ao arranque da comercialização, está desde já agendado para o final de 2018, com muitos argumentos em termos de conforto e propulsão híbrida.

Associando aquilo que o fabricante francês designa de um design vincado a um espaço interior totalmente dedicado ao bem-estar de todos os passageiros, o C5 Aircross é apresentado como um SUV de vocação internacional, desde logo, graças uma estética fortemente personalizada e que representa uma nova etapa na linguagem de design estreada com o C4 Cactus. Embora materializada, neste caso, num corpo não somente robusto e musculado, do qual fazem igualmente parte os hoje em dia já famosos Airbumps , mas também com um comprimento total de 4,50 m, uma largura de 1,84 m, uma altura de 1,67 m e uma distância entre eixos de 2,37 m. Esta última, complementada por projecções curtas, pouco além das cavas das rodas, com jantes que vão das 17 às 19”.

Amortecedores Progressivos Hidráulicos em estreia mundial

Igualmente de salientar num modelo que tem por base a já conhecida plataforma EMP2 para veículos do segmento C e D, a adopção do conhecido programa Citroën Advanced Confort, além de ser também o primeiro veículo da marca a contar com um novo sistema de suspensão de Amortecedores Progressivos Hidráulicos. Os quais, garante a Citroën, asseguram não só uma melhor qualidade de filtragem do mau piso, como um conforto em andamento inigualável e tipicamente Citroën.

[jwplatform 4fG8THpV]

Já a bordo do C5 Aircross, o fabricante promete um espaço amplo e luminoso, neste último caso, por via também da inclusão de um tecto de abrir panorâmico. A que se juntam a possibilidade de aquecimento e massagem (multiponto) nos bancos dianteiros, bancos traseiros acolhedores e que dão primazia ao espaço para as pernas, assim como um ambiente purificado, graças ao sistema de tratamento da qualidade do ar “Air Quality System” – em estreia neste modelo, podendo ser confirmado a todo o momento, no ecrã central, através da tecnologia Clean Cabin.

Relativamente à capacidade da bagageira, a Citroën fala em 482 litros, valor que, a confirmar-se, poderá ser considerado apenas razoável, especialmente, quando comparado com as referências do segmento.

[jwplatform uWgN1jXt]

Ainda no equipamento, o futuro SUV topo de gama da Citroën destacar-se-á pela inclusão de um painel de instrumentos digital TFT de fácil leitura, com 12,3’’, e com ecrã táctil capacitivo de 8’’ HD. Sendo que, no capítulo da segurança, será possível desfrutar de tecnologias como o Active Safety Brake, o sistema activo de vigilância do ângulo morto, o regulador de velocidade adaptativo com função Stop e muitos outros. Já para os momentos de aventura, fora de estrada, a inclusão de soluções já conhecidas como o Grip Control ou Hill Assist Descent Control.

O primeiro Citroën Plug-in Hybrid PHEV

No domínio das motorizações, certeza apenas de que o C5 Aircross será o primeiro modelo Citroën equipado com a tecnologia Plug-in Hybrid PHEV, isto numa oferta da qual farão igualmente parte motores a gasolina de última geração, com 165 cv (THP 350) e 200 cv (THP 380), acoplados à caixa de velocidades automática EAT6 e-shift. Sobre unidades a gasóleo, nada é ainda revelado.

[jwplatform f6oCxZyr]

No caso da motorização híbrida plug-in, a marca do double chevron revela que o conjunto propulsor é composto por um motor térmico de 200 cv e dois motores eléctricos (um à frente e um atrás) que, em conjunto, garantem uma potência total de 300 cv. Fazendo assim deste C5 Aircross o Citroën de série mais potente de sempre.

Disponíveis, com esta motorização, estarão também quatro modos de utilização: 100% eléctrico (garantindo uma autonomia até 60 km); híbrido para as grandes distâncias sem recarga; combinado; e 4X4. Sendo que, em termos de recarga das baterias, a marca francesa refere apenas que o sistema consegue recuperar energia nas fases de desaceleração, ou através do motor térmico, quando em andamento. Não revelando, contudo, quanto tempo demora quando ligado à tomada.