O número de novos casos de hepatite A continua a subir. Desde o dia 1 de janeiro foram já notificados 199 casos, informa a Direção Geral da Saúde, num comunicado publicado esta terça-feira ao final da tarde. A última atualização tinha sido feita há 10 dias e dava conta de 160 casos.

A Direção-Geral da Saúde já demonstrou preocupação com a possibilidade de não se conseguir controlar o surto de hepatite A antes dos festivais de Verão. É que nesses eventos há um aumento das práticas sexuais e as condições de saneamento são más, o que potencia o risco de transmissão.

Na passada sexta-feira, Diogo Medina, do Gabinete de Ativistas em Tratamento disse ao Observador que “a vacinação em Lisboa corre a bom ritmo, com quase 500 pessoas das populações prioritárias já vacinadas”. E por populações prioritárias entende-se aquelas que estiveram em contacto com doentes, os homens que têm sexo com outros homens (HSH) e viajantes para locais de alto risco.

O médico informou ainda que entre junho e novembro deste ano, Portugal vai receber, pelo menos, mais 38 mil doses de vacinas contra a hepatite A, que acrescerão às 12 mil doses que já existem.

“Juntando-se às 12 mil que já tínhamos, deve chegar para controlar o surto, por um lado, e, por outro, assegurar as necessidades habituais do país fora de alturas de surto (habitualmente precisamos de 36 mil por ano, em anos normais)”, explicou Diogo Medina, sublinhando a importância de “fazer este stock [das 12 mil] perdurar até ao início do verão” pois assim “não vai nunca haver interrupção, e essa é a circunstância ideal, que outros países europeus não conseguiram”, como Espanha.