Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os cientistas têm uma ideia mais rigorosa sobre quantas estrelas há no Universo do que sobre quantas espécies existem na Terra. De acordo com o World Resources Institute (WRI), num estudo que teve por objeto apenas 19 árvores do Panamá, os cientistas perceberam que 80% das 1.200 espécies de escaravelhos encontrados eram desconhecidos para o ser humano.

É por isso impossível avançar com um número preciso sobre quantas espécies animais tem o planeta — e quantas são perdidas todos os anos. Mas a World Wide Fund for Nature (WWF) tem uma ideia: se estimarmos que existem 100 milhões de espécies e que a taxa de extinção é de 0,01% por ano, então significa que “pelo menos 10 mil espécies ficam extintas todos os anos”. Esta é uma taxa de extinção entre 1.000 e 10.000 vezes mais rápida do que o ritmo natural. E é contra ela que a WWF luta desde 1961.

Nesse ano, Julian Huxley, Edward Max Nicholson, Peter Schrott e Gay Mountfort juntaram-se em Gland, Suíça, “por um planeta mais vivo” e criaram a WWF. Desde então, e com especial afinco desde meados dos anos oitenta, a WWF dedica-se à preservação do ambiente e à educação da população e das grandes empresas para trabalharem de acordo com valores ambientais. Uma das armas mais poderosas que usa para levar avante a sua missão é a publicidade.

Em mês de aniversário da WWF, o Observador recolheu alguns dos anúncios mais impactantes lançados pela instituição nos últimos anos. Veja 27 exemplos na fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR