A postuladora da causa de canonização dos pastorinhos, a irmã Ângela Coelho, diz ao Observador que a canonização de Francisco e Jacinta Marto em Fátima, em maio deste ano, “será um ponto alto das celebrações do centenário de Fátima”.

A religiosa, que está desde 2012 à frente da causa que lutava pela canonização das duas crianças, considera ainda que “o facto de [a canonização] ser no Santuário de Fátima exprime a importância deste lugar para a Igreja e como inspirador de santidade para toda a Igreja”.

“O objetivo do trabalho está cumprido”, destaca a religiosa, que passou os últimos quatro anos a estudar aprofundadamente o milagre de cura de uma criança brasileira, que permitiu a aprovação da canonização. “Em Fátima tem um sabor especial”, afirma, acrescentando que “agora continua a missão de levar mais longe a santidade destes novos santos da Igreja, ou seja, difundir as suas virtudes e dar a conhecer ainda mais as suas vidas”.

Presente no Vaticano no momento em que o Papa Francisco confirmou a data da canonização dos pastorinhos, a irmã Ângela Coelho sublinha que recebeu “a notícia com muita alegria e comoção”, e destaca que “os pastorinhos são uma luz de esperança para a humanidade”.

Também o padre Vítor Coutinho, vice-reitor do Santuário de Fátima, se mostra satisfeito com a escolha do Santuário de Fátima como local da canonização dos pastorinhos. “A escolha de Fátima para realizar a canonização demonstra a relevância de uma mensagem que é eloquente para um mundo necessitado de paz e para homens e mulheres para quem Deus pode dar razões de esperança e de sentido”, afirmou ao Observador.

Numa mensagem em vídeo partilhada pelo Santuário de Fátima, o bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, diz que “o centenário [das aparições] atinge todo o seu esplendor” com a celebração da canonização, que é “um grande dom para a diocese de Leiria-Fátima, para o Santuário de Fátima, para a Igreja em Portugal e para a Igreja universal”.

Já o reitor do Santuário, o padre Carlos Cabecinhas, destaca três motivos de alegria com o anúncio: o facto de as relíquias dos pastorinhos estarem guardadas no Santuário, o “reconhecimento da importância mundial de Fátima e o reconhecimento da mensagem de Fátima como escola de santidade” e ainda a importância da canonização no “contexto do centenário das aparições”.

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, reagiu ao anúncio através do Twitter, manifestando “muita alegria” pela “notícia da canonização de Francisco e Jacinta na sua terra”.

Marcelo. Canonização dará “um significado acrescido” à visita do papa a Fátima

Marcelo Rebelo de Sousa também saudou e felicitou esta quinta-feira a comunidade católica portuguesa. O Presidente da República dirigiu “uma saudação e uma felicitação àqueles portugueses que são católicos e que acreditam em Fátima, pela notícia da canonização”.

O chefe de Estado considerou que, para esses “muitos portugueses”, a canonização de Francisco e Jacinta dará “um significado acrescido” à visita do papa a Fátima. Para Marcelo, a canonização constitui “o culminar de um processo que foi longo” dentro da Igreja Católica.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas antes de uma iniciativa na Associação 25 de Abril, em Lisboa e deixou esta mensagem também numa nota divulgada na página da Presidência da República