Orçamento do Estado

Medidas que a esquerda pede avançam mas só de forma faseada

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares diz ter uma convicção muito forte que os próximos dois orçamentos vão ser aprovados pela geringonça. Baixa de IRS sim, mas de forma faseada.

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

A redução do IRS, a menor penalização das reformas para as carreiras mais longas e o descongelamento das carreiras na Função Pública, medidas que a esquerda pede, estarão no próximo Orçamento do Estado, garante o secretário de Estado de Assuntos Parlamentares em entrevista à Antena 1, mas serão todas feitas de forma faseada.

Pedro Nuno Santos mostra-se confiante que os próximos dois Orçamentos do Estado desta legislatura vão ser aprovados, apesar de algumas críticas dos parceiros à esquerda do caminho escolhido pelo Governo, com base no trabalho que tem tido diariamente com os partidos mais à esquerda.

O governante, que diz que não precisa de ser ministro porque trabalha na dependência direta do primeiro-ministro, diz ainda que Mariana Mortágua teve um “erro de perceção mútua” – expressão usada por Mário Centeno para qualificar os desentendimentos com o ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos António Domingues – sobre a questão do salário mínimo, que, garante, vai aumentar até aos 600 euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: nmartins@observador.pt
Liberalismo

Subir a Avenida da Liberdade no 25 de Abril

Sérgio Loureiro

Gostava mais se fôssemos subir a Avenida da Liberdade. Subir para chegar a um Portugal e uma Europa melhores. Subir para que a Liberdade seja individual e plena, e não apenas a tolerada pelo Estado.

Futuro

Acessibilidade digital e valorização do interior

António Covas

Quando se fala do futuro próximo do interior é bom não esquecer que em 2030 a geração dos nativos digitais já terá pelo menos 30 anos e os ecossistemas digitais serão o quadro de atuação mais comum.

Liberalismo

Subir a Avenida da Liberdade no 25 de Abril

Sérgio Loureiro

Gostava mais se fôssemos subir a Avenida da Liberdade. Subir para chegar a um Portugal e uma Europa melhores. Subir para que a Liberdade seja individual e plena, e não apenas a tolerada pelo Estado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site