À primeira vista, tudo indicava que o ataque com explosivos ao autocarro da equipa de futebol do Borussia de Dortmund, na semana passada, tinha motivações terroristas. Apontou-se o dedo a radicais islâmicos e a um movimento anti-fascista. As autoridades alemãs chegaram mesmo a deter duas pessoas: um iraquiano de 25 anos e um alemão de 28, ambos suspeitos de serem próximos do Estado Islâmico. Ainda assim, logo no dia do incidente a polícia ter posto em causa a veracidade de uma carta encontrada no local, alegadamente de radicais islâmicos a reivindicar o ataque.

Todas as teorias iniciais acabaram por cair por terra e, esta sexta-feira, um novo suspeito de nacionalidade alemã e russa foi detido pela polícia alemã. A motivação? Lucrar na bolsa.

Foi tudo planeado ao pormenor. De acordo com a Procuradoria-geral alemã, citada pela Reuters, Sergei V., de 28 anos, é um investidor que terá comprado cerca de 15 mil acções do Borussia de Dortmund, avaliadas em 78 mil euros, “com o objetivo de fazer lucro”. Após esse investimento, para o qual terá recorrido a um crédito que pedira na semana anterior, o suspeito teria intenção de as vender a um preço pré-determinado no dia do ataque.

“Se as ações do Borussia de Dortmund sofressem uma queda significativa [na sequência do ataque], o lucro seria várias vezes superior ao investimento inicial”, explicou o procurador citado pela Reuters. “A morte ou ferimentos graves de qualquer futebolista iriam certamente contribuir para essa queda”, reforçou.

A verdade é que as ações do clube caíram de 5.738 para 5.421 após o ataque.

Resta saber se o Sergei V. não se inspirou no enredo do filme de James Bond, Casino Royale, para engendrar o seu plano. No filme, a personagem Le Chiffre também tenta levar a cabo um atentado de terrorista para fazer cair o preço das ações em que investia.

https://observador.pt/videos/explica-me/o-que-e-o-short-selling/

Segundo a BBC, Sergei V. estava instalado no mesmo hotel que a equipa do Dortmund no dia do incidente e ter-se-á mudado para um quarto com vista para a rua onde ocorreram as explosões. Os investigadores acreditam que terá escondido três explosivos, com fragmentos de metal, nuns arbustos e foram acionados quando o autocarro passou pelo local, a caminho do estádio.

O homem é agora suspeito de tentativa de homicídio e ofensas corporais graves e de ter causado uma explosão. Recorde-se que o ataque no passado dia 11 de abril ocorreu na véspera de um jogo da Liga dos Campeões com os franceses do Mónaco – treinados pelo português Leonardo Jardim – quando a equipa do Borussia de Dortmund se dirigia para o estádio onde iria decorrer o encontro.

Da explosão resultaram dois feridos: o jogador Marc Bartra, que teve de ser submetido a uma intervenção cirúrgica ao pulso, e um polícia.

Dortmund. O que já se sabe e o que falta saber