A administração fiscal britânica lançou esta quarta-feira uma megaoperação antifraude que levou à realização de “várias detenções” no futebol profissional no Reino Unido e em França.

De acordo com a agência France Presse, em causa estão alegadas fraudes no valor de cinco milhões de libras (5,9 milhões de euros). A operação, que envolveu 180 agentes em França e no Reino Unido e a apreensão de documentos, computadores e telemóveis, envolveu clubes como o West Ham e o Newcastle, adiantou a imprensa. A pedido das congéneres britânicas, as autoridades francesas fizeram mais uma dezena de inquirições, tendo colocado quatro suspeitos em prisão preventiva.

Em causa está a suspeita de crimes de fraude fiscal agravada e branqueamento, cometidos por ocasião da transferência de vários jogadores de futebol entre clubes franceses e da ‘Premier League’ inglesa. As autoridades britânicas suspeitam, em concreto, de “pagamentos ocultos” a certos jogadores, agentes e terceiros, destinados a escapar ao pagamento de impostos.

Questionados pela imprensa, responsáveis do West Ham afirmaram apenas que o clube irá “cooperar com a administração fiscal no seu inquérito”. O Chelsea, líder do campeonato inglês, confirmou também que foi também contactado no âmbito da investigação, mas que foi solicitada apenas “informação” ao clube londrino.