São três questões de puro raciocínio mental lançadas por um homem da magia. Alex Bellos, o matemático que é presença habitual na página de desafios do The Guardian, pediu ao mágico britânico Adam Rubin que sugerisse três quebra-cabeças clássicos que ponham o cérebro a funcionar ao rubro. Adam Rubin trabalha de perto com outros mágicos, é autor de bestsellers de desafios mentais e desenha puzzles.

Os enunciados aqui em baixo foram os sugeridos por ele.

O lugar no comboio

Uma pessoa, que praticava wrestling antes de se retirar, entra num comboio à pinha em Chicago quando um jovem se levanta para lhe oferecer o seu lugar. Essa pessoa não está ferida e tem apenas 36 anos. Todas as semanas, os clientes no comboio oferecem o seu assento para que essa pessoa se possa sentar. Porque é que as pessoas não desistem de lhe oferecer o seu lugar?

O relógio da estância

Penélope trabalha no Clocktower Lodge no topo de uma estância de esqui de montanha. Numa manhã, ela chega à estância e descobre que alguém se esqueceu de dar corda ao relógio, que por isso deixou de trabalhar. Problema: a torre do relógio é a única maneira de saber a hora no topo da montanha e ninguém vai chegar à estância tão cedo. Então, Penelope salta para teleférico, vai até à base da montanha, anota a hora correta e, em seguida, volta a apanhar o teleférico de regresso à estância. Ora se Penélope não pode saber a hora enquanto desce e sobe a montanha, como pode ter certeza da hora com que deve acertar o relógio corretamente?

O frasco de moedas

Um dia, Harold limpou um grande frasco de vidro de pickles vazio, colocou-o na sua mesa e meteu lá dentro algumas moedas. Harold decidiu então que todos os dias ia despejar os seus trocos no frasco e que, quando o frasco estivesse cheio iria comer um grande bife ao jantar. Três meses depois, um cego chamado Richard visitou o escritório de Harold pela primeira vez. Harold contou a Richard os seus planos com o frasco das moedas. O cego pegou cuidadosamente no frasco, agitou-o uma vez e indicou a quantidade exata de trocos no frasco. “Incrível!”, disse Harold. Apertou a mão do cego e convidou-o a juntar-se a ele no jantar de bife, assim que o frasco estivesse completamente cheio de moedas. Quanto tempo vai demorar até isso acontecer?

Mais lá em baixo vai encontrar as soluções para cada uma das perguntas, dadas pelo próprio mágico. Boa sorte!

Bem-vindo! Aqui em baixo pode encontrar as soluções dadas pelo mágico aos quebra-cabeças que publicou no jornal The Guardian. Acertou em todas?

  1. Essa pessoa era uma mulher que estava grávida.
  2. Penélope dá corda ao relógio e começa a trabalhar. Quando entra no teleférico, toma nota do tempo indicado no relógio. A viagem começa, ela anota a hora correta e volta imediatamente para o teleférico. Anota a nova hora dada pelo relógio de corda. Visto que o tempo que ela demora a descer a montanha é o mesmo tempo que demora a subir, ela divide a diferença entre a nova hora e a hora indicada pelo relógio de corda ao iniciar a viagem. O resultado dessa divisão é somado ao valor que estava indicado no relógio na base da montanha. Essa será a hora certa.
  3. Três meses. A única maneira de o homem cego poder dizer a quantidade exata de trocos no frasco é se ele estiver vazio. Isso significa que Harold acabou de jantar bife e, portanto, esvaziado o frasco. Por isso, precisou de cerca de três meses para encher o frasco novamente com moedas.