A Federação Nacional de Regantes de Portugal (Fenareg) alertou hoje para a existência de “30 mil hectares de culturas em risco” no Alentejo, por causa dos baixos níveis de armazenamento de água em albufeiras, devido à seca.

O armazenamento atual de água em algumas albufeiras “não poderá dar resposta às necessidades” e, além de questões ambientais e de qualidade da água, “apuramos 30 mil hectares de cultura em risco” no Alentejo, refere a Fenareg, num comunicado enviado à agência Lusa.

A Fenareg refere que o início da campanha de rega “está a escassos dias e perante a atual situação de seca” já questionou a Agência Portuguesa do Ambiente “sobre a ativação da Comissão de Gestão de Albufeiras e da Comissão de Acompanhamento da Seca”.

“A bacia hidrográfica do Sado apresenta registos críticos de volumes armazenados úteis nas albufeiras”, com a albufeira de Odivelas a registar 6% e a do Roxo, que serve perímetros de rega e garante o abastecimento público a Beja e Aljustrel, 10%.

Os perímetros de rega do Vale do Sado, que serve o concelho de Alcácer do Sal, e da Vigia, que serve o concelho de Redondo, têm níveis de armazenamentos de água “entre 40 e 50%” e “limitação hídrica” para a campanha de rega deste ano.

Segundo a Fenareg, “pelo terceiro ano consecutivo, a precipitação foi inferior ao normal”.