Donald Trump prometeu um impulso económico mas a economia norte-americana ainda não reagiu e cresceu apenas 0,7% no primeiro trimestre do ano, os primeiros números desde que Donald Trump assumiu a Presidência dos Estados Unidos, o nível mais baixo dos últimos três anos. No Reino Unido a economia também abrandou significativamente, França cresce cada vez menos.

Depois de um final de ano mais otimista, o início do ano para três das principais economias mundiais não parece trazer boas notícias. De acordo com os dados publicados esta sexta-feira pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos, a economia norte-americana cresceu apenas 0,7% no primeiro trimestre (taxa anualizada – 12 meses até ao final do primeiro trimestre), o pior resultado dos últimos três anos.

No final do ano passado, a economia norte-americana estava a crescer 2,1%, o que mostra um abrandamento significativo no desempenho da maior economia do mundo.

O abrandamento deve-se a um abrandamento do consumo privado, com os consumidores mais cautelosos na nova conjuntura política norte-americana. O crescimento verificado em setores como o imobiliário e o investimento empresarial não chegaram para compensar a queda nas vendas do comércio a retalho.

Os resultados ficam significativamente abaixo das estimativas de alguns economistas de há apenas dois meses, que esperavam um crescimento superior a 2%.

Estes são os primeiros meses com Donald Trump no poder, mas a tomada de posse aconteceu já na segunda metade de janeiro, o que significa que em parte deste período a administração de Barack Obama ainda estava ao leme da economia norte-americana.

Dores do Brexit?

No Reino Unido as notícias também não são as melhores. Os números conhecidos esta sexta-feira mostram que a economia britânica abrandou de forma significativa, algo que pode complicar as difíceis negociações que se seguem com a União Europeia sobre a saída da União Europeia do bloco britânico e as eleições legislativas convocadas para junho por Theresa May.

De acordo com o Instituto de Estatísticas britânico, a economia cresceu apenas 0,3% no primeiro trimestre, menos de metade do que acontecia três meses antes, o desempenho mais fraco desde o início do ano passado e abaixo das expetativas.

Em termos anuais, a taxa de crescimento abrandou de 2,7% para 1,2%, também aqui menos de metade do verificado e já retirando o pior trimestre antes deste, os primeiros três meses do ano passado, como referido acima.

Também na economia britânica foram as vendas a retalho que apresentaram o desempenho mais fraco, mostrando uma maior cautela dos consumidores, mas também a indústria cresceu menos que o esperado. A indústria britânica tem vindo a beneficiar da aceleração da economia mundial, mas os contratempos na economia norte-americana mostram que esse ambiente pode estar para mudar. As intenções protecionistas da nova administração norte-americana, liderada por Donald Trump, criaram alguma incerteza nas principais economias. A forma como estas vão ser concretizadas ainda está por conhecer.

Mais lenha para a fogueira da campanha eleitoral

É um dos principais pontos da campanha eleitoral para as presidenciais, cuja segunda volta se realiza para a semana e coloca frente-a-frente Marine Le Pen e Emmanuel Macron, e certamente fará mexer os candidatos.

A economia francesa, que tem vindo a crescer de forma anémica, voltou a abrandar. Depois de crescer 0,5% no último trimestre do ano passado, a economia francesa conseguiu crescer ainda menos nos três primeiros meses do ano: 0,3%.

Este é um desempenho abaixo das expetativas – uma pool de economistas do Wall Street Journal esperava um crescimento de 0,4% -, e pode endurecer o discurso dos dois candidatos, que têm prometido reformas económicas profundas, ainda que Macron seja a favor de maior integração na União Europeia e Marine Le Pen peça a saída da zona euro.

A economia acabou por ser ‘prejudicada’ por uma queda abrupta dos gastos com energia (3,8%) devido ao tempo mais ameno que se verificou no início do ano em França. Ainda assim, o consumo privado ainda cresceu 0,1%.