É claro que o facto de não ser uma prova cronometrada ajuda à participação de veículos em que a performance não é o atributo essencial. Ainda assim, não deixa de ser digna de registo a iniciativa levada a cabo pela Plug In Adventures, a empresa dedicada à promoção de veículos eléctricos, que decidiu inscrever um Nissan Leaf no Rali da Mongólia, que se disputará no próximo Verão, ligando o Reino Unido aquele país asiático, através de um percurso com cerca de 16 mil quilómetros.

Denominado Leaf AT-EV (acrónimo de All Terrain Electric Vehicle), esta unidade muito especial do eléctrico japonês tem por base um Leaf Acenta 30 kWh, capaz de oferecer, segundo a norma NEDC, 250 quilómetros de autonomia com um só carregamento de bateria. Tendo como objectivo as alterações operadas pelos especialistas da RML dotar o veículo dos atributos indispensáveis para poder enfrentar uma viagem com tal grau de dificuldade.

Assim, as jantes originais foram substituídas por umas Speedline SL2 Marmora, revestidas por penus Maxsport RB3, mais estreitos e mais adaptados a superar as estradas não pavimentadas do percurso. No mesmo sentido vão as placas de protecção soldadas à parte inferior dos triângulos de suspensão, as palas nos guarda-lamas e a protecção de cárter de alumínio com 6 mm de espessura.

Ao mesmo tempo, o circuito de travagem foi duplicado, enquanto que as barras de tejadilho não só servem como suporte para bagagem extra, como foram equipadas com uma barra de luz de elevada potência e baixa tensão adicional, fulcral para superar as secções ais remotas do percurso. Por fim, para redução do peso e criação de mais espaço para armazenamento, os bancos e os cintos de segurança traseiros foram removidos, o que permitiu poupar 32 kg, passando a bagageira a integrar um kit médico e de primeiros socorros.

[jwplatform DwAeqiYk]

A bordo do Leaf AT-EV estará Chris Ramsey, fundador da Plug In Adventures, a empresa que, desde 2011, e englobando um grupo de entusiastas de veículos eléctricos escoceses, se dedica a promover tudo o que se relacione com os mesmos, nomeadamente através do contacto com o público através de métodos originais. Na edição deste ano do Rali da Mongólia, prova de solidariedade criada em 2004, e que percorre montanhas, desertos e estepes da Europa e da Ásia, Ramsey pretende parar de forma frequente para promover os benefícios da utilização dos automóveis eléctricos, bem como utilizar a plataforma What3Words para registar os pontos de carregamento que possam ainda não estar mapeados.

Com arranque marcado para 16 de Julho próximo, o Rali da Mongólia é um desafio com algumas particularidades. Desde logo porque cada equipa tem por obrigação angariar, no mínimo, mil euros para instituições de solidariedade. E também porque o percurso não tem apoio na estrada, o que obriga os participantes a serem capazes de solucionar os seus próprios problemas – que têm alguma probabilidade de acontecer, uma vez que a prova só está a aberta a automóveis de pequenas dimensões, animados por motores com menos de um litro de capacidade, também para que os concorrentes tenham mais oportunidades para interagir com os habitantes locais.