Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia a 27 reúnem-se ,este sábado, numa cimeira, em Bruxelas, para adotar as orientações para as negociações com Londres em torno da saída do Reino Unido da UE, o chamado ‘Brexit’.

Com a presença do negociador-chefe da UE, Michel Barnier, a quem será posteriormente dado um mandato para conduzir as negociações em representação dos “Vinte e Sete”, os líderes europeus, entre os quais o primeiro-ministro António Costa, vão aprovar este sábado as posições e os princípios gerais da UE para as negociações que se seguem com Londres, e que deverão ser concluídas no espaço de dois anos, até 2019.

Na carta-convite dirigida aos líderes europeus, na quinta-feira, o presidente do Conselho Europeu advertiu que o futuro das relações com o Reino Unido só deve ser discutido numa fase mais adiantada das negociações em torno do ‘Brexit’, uma vez acordados os termos da separação.

Antevendo aquele que é formalmente o primeiro Conselho Europeu a 27, para a adoção das diretrizes para as negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, Donald Tusk defende que é fundamental tratar do passado e acautelar os interesses dos cidadãos europeus antes de discutir o futuro.

“Devo sublinhar um elemento das nossas orientações propostas, que considero ser chave para o sucesso destas negociações, pelo que deve ser absolutamente compreendido e aceite. Refiro-me à ideia de uma abordagem faseada, o que significa que não discutiremos as nossas relações futuras com o Reino Unido até termos alcançado progressos suficientes nas questões principais relativas à saída do Reino Unido da UE”, escreveu Tusk.

O presidente do Conselho sustenta que “esta não é apenas uma questão de tática, mas, dado o calendário apertado no qual se deve concluir as negociações, é a única abordagem possível”.

“Apenas quando tivermos determinado em conjunto, no Conselho Europeu, que foram feitos progressos suficientes em todas estas matérias é que estaremos em condições de ter conversações preparatórias sobre a futura relação com o Reino Unido. Eu gostaria que estivéssemos unidos em torno deste princípio chave durante a próxima cimeira”, afirma, concluindo que a UE a 27 deve estar “pronta para defender esta lógica durante as negociações”.

Havendo grande “sintonia” entre os 27 em torno das posições da UE para as negociações, como garantiu na quinta-feira a presidência semestral maltesa do bloco europeu, a cimeira deste sábado antevê-se tranquila e deverá ser curta, tendo início agendado para as 12h30 locais (11:30 de Lisboa) e final previsto para cerca das 16h00.

Depois de os líderes dos “Vinte e Sete” aprovarem hoje as linhas diretrizes para as negociações, será elaborado um mandato para Barnier, que deverá estar pronto até 22 de maio, mas as negociações só deverão arrancar depois das eleições no Reino Unido marcadas para 8 de junho.