A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, que fez as contas a partir do último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI). Em média, diz o diário, todos os dias são agredidos cinco polícias — o número de ocorrências relativas a crimes de “resistência e coação sobre funcionário” registadas durante 2016 (1.688) é, ainda assim, menor do que o apurado no ano transato (1.818). Segundo a mesma fonte, dessas 1.688 ocorrências terão resultado 25 feridos.

Já a Direção-Nacional da PSP disse ao JN que instaurou durante todo o ano 277 processos por “acidente de trabalho resultantes de agressões”, dos quais resultaram 18 feridos ligeiros. Os comandos das áreas de Lisboa, Setúbal e Porto foram os mais visados.

Já a Associação Sindical dos Profissionais da PSP — que fez chegar à Assembleia da República uma petição pela atribuição de subsídio de risco aos profissionais da polícia, que deverá ser debatida em breve — apontou para uma estimativa de 800 polícias agredidos/ano.

De acordo com o RASI, durante 2016, também as agressões a elementos do corpo da guarda prisional diminuíram 28% face ao ano anterior — foram comunicadas 18.