Ana Catarina Mendes

A entrevista de Ana Catarina Mendes em 46 tweets

Em entrevista ao Observador, a secretária-geral-adjunta do PS admite uma vitória nas autárquicas. Dívida pública, geringonça e estado da Justiça foram outros temas abordados com a número dois do PS.

A cinco meses das autárquicas, o PS assume a ambição de manter-se como “a principal força” do poder local. Se isso significa repetir — ou superar — as 150 câmaras conquistadas em 2013, a secretária-geral adjunta socialista não concretiza.

Ana Catarina Mendes esteve na redação do Observador na manhã desta quarta-feira para uma entrevista de pouco mais de 50 minutos e que aqui reproduzimos em 46 tweets, que incluem excertos da entrevista em vídeo. Além das autárquicas e das brechas que esse combate eleitoral pode abrir na “geringonça”, falou-se da herança que o PS recebeu no Governo, de dívida pública (e da responsabilidade que Portugal pode ter nesse debate), de precariedade, e da recusa de António Costa em responder a Passos Coelho no Parlamento e do processo de José Sócrates.

No âmbito das perguntas sobre o antigo primeiro-ministro — e ainda que tenha recusado comentar casos judiciais em concreto –, a dirigente socialista diz: “Qualquer cidadão merece respeito e dignidade que não é compatível com violações do segredo de justiça e violações de prazos.”

As expectativas para as autárquicas

Sobre a disputa autárquica no Porto

Sobre Fernando Medina, candidato a Lisboa

Sobre a herança do Governo PSD/CDS

Sobre a geringonça:

Sobre a Europa:

Sobre a dívida pública:

Sobre a precariedade:

Sobre as próximas legislativas:

Sobre a não resposta de António Costa a uma pergunta de Passos Coelho, na Assembleia da República:

Sobre eutanásia:

Sobre o caso José Sócrates:

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O MOV 5.7 /premium

João Marques de Almeida
291

Nos últimos 25 anos, as direitas têm servido para limpar a casa socialista quando a festa chega ao fim. Depois da casa arrumada e limpa, os socialistas regressam para mais festa. Não tem de ser assim.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)