Fazendo jus à máxima de que os recordes existem para serem batidos, a Porsche aliou-se à Air France e rumou ao aeroporto de Charles de Gaulle para tentar conquistar um novo título do famoso livro do Guinness: o da aeronave mais pesada rebocada por um automóvel de produção. Em causa estavam o Porsche Cayenne e o Airbus A380, um portento com 73 metros de comprimento e 285 toneladas de peso.

A primeira tentativa foi levada a cabo com um Cayenne S Diesel, animado por um poderoso motor V8 turbodiesel de 4,1 litros, 385 cv e 850 Nm. E foi um êxito. Da segunda vez, foi utilizado um Cayenne Turbo S, com motor 4.8-V8 biturbo de 570 cv e 800 Nm, e o detentor da volta mais rápida ao traçado de Nürburgring também não teve problemas em rebocar o imponente A380 durante 42 metros.

Curiosidade, o facto de o Cayenne Turbo S ter chegado ao aeroporto da capital francesa vindo, por estrada, desde Londres, a onde regressou pelos mesmos meios cumprida a sua missão, e sem que se tenham registado quaisquer avarias ou outros percalços.

Por outro lado, com este resultado, o Cayenne bate em 115 toneladas o recorde até aqui detido pelo Patrol, alcançado quando, em 2013, o Nissan rebocou um avião de carga de 170 toneladas. Foi assim:

[jwplatform NteWYWcV]

Também dignos de menção, o Volkswagen Touareg V10 TDI, que há mais de uma década rebocou um Boeing 747 de 155 toneladas. Ainda se lembra disto?

De recordar, também, que o Land Rover Discovery Sport, há cerca de um ano, numa mera versão 2.0 turbodiesel de 180 cv e 430 Nm, rebocou um comboio com 100 toneladas, que é mais ou menos o peso de um Boeing 757.