As vendas do comércio de retalho aumentaram, em março, 0,3 por cento na zona euro e recuaram 0,2% na União Europeia (UE), face a fevereiro, com Portugal a registar a maior quebra (-2,3%), segundo o Eurostat. Na comparação homóloga, com março de 2016, o volume das vendas do comércio de retalho aumentou 2,3% na zona euro e 2,5% na UE.

Na variação em cadeia, face a fevereiro, Portugal registou a maior quebra no indicador (-2,3%), seguindo-se a Eslovénia e o Reino Unido (-2,2% cada) e a Finlândia (-2,1%).

A Hungria (1,8%), a Estónia (1,6%) e o Luxemburgo (1,5%) tiveram as maiores subidas mensais das vendas a retalho.

Em termos homólogos – e entre os países para os quais há dados – não se registaram quebras no indicador, tendo as maiores subidas sido observadas na Eslovénia (10,4%), na Roménia (9,1%) e no Luxemburgo (7,8%).

Em Portugal, o volume das vendas do comércio de retalho aumentou 3,2% em termos homólogos.