Mais de 75% dos 680 estabelecimentos hoteleiros e de restauração em Fátima recentemente alvo de vistorias de delegados de saúde pública apresentam condições higiossanitárias e de funcionamento “boas” ou “muito boas”, segundo uma fonte do Ministério da Saúde.

A informação foi avançada à agência Lusa pelo presidente da Comissão de Gestão do Plano de Contingência do Ministério da Saúde para as Comemorações do Centenário das Aparições de Fátima, António Marques, segundo o qual esta ação dos delegados de saúde pública, que ainda decorre, é uma resposta a um pedido feito às autoridades de saúde de reforçarem as vistorias habitualmente realizadas.

Esse trabalho “já consta das atividades correntes das unidades de saúde pública”, mas agora foram “reforçadas e especialmente dirigidas a Fátima”, adiantou.

Segundo António Marques, “foram privilegiadas as ações dirigidas aos estabelecimentos localizados nos percursos e itinerários mais comuns e mais utilizados pela população peregrina”.

Até ao momento foram visitados cerca de 680 estabelecimentos, na maioria (cerca de 560) de restauração, bebidas e comércio alimentar (minimercados, padarias, talhos, peixarias, entre outros) e perto de 120 estabelecimentos hoteleiros, residenciais e parques de campismo.

“A maioria destes estabelecimentos apresenta condições de higiene e segurança compatíveis com o seu funcionamento e o serviço prestado à população”, prossegue António Marques.

De acordo com este responsável, “mais de 75% dos estabelecimentos visitados, reúnem mesmo boas ou muito boas condições higiossanitárias e de funcionamento”.

“Numa percentagem relativamente pequena foram identificadas e resolvidas em curto espaço de tempo algumas inconformidades que não implicaram suspensão da atividade, mas antes a adoção de medidas corretivas”, adiantou.

Segundo António Marques, “não houve necessidade de tomar nenhuma medida coerciva que interrompesse a atividade, apenas efetuadas recomendações sobre cuidados a ter, sendo poucas as situações com necessidade de ser feita nova vistoria para a verificação de medidas corretivas que tivessem sido impostas”.

O presidente da Comissão de Gestão do Plano de Contingência do Ministério da Saúde para as Comemorações do Centenário das Aparições de Fátima sublinhou que “um número considerável de estabelecimentos hoteleiros” apresenta planos de prevenção e controlo da bactéria legionela, uma “medida de saúde pública que se valoriza”.

“No que se refere a riscos de maior gravidade como a legionela, foram realizadas análises de várias dezenas de locais e até ao momento não foi obtido nenhum caso positivo”, revelou.

Para António Marques, os resultados obtidos são “muito positivos” e devem-se “ao bom trabalho deste ano e ao investimento acumulado dos últimos anos”.

Este responsável garante que “existem condições de segurança para os peregrinos e a população em geral” que visite Fátima.

O papa Francisco visita Fátima a 12 e 13 de maio para canonizar os dois pastorinhos Jacinta e Francisco no centenário das “aparições” na Cova da Iria, em 1917.

Francisco é o quarto papa a visitar Fátima e tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no dia 13.

Os anteriores papas que estiveram em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).