Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Considerado um dos Lamborghini mais exclusivos (e caros) da história da marca de Sant’Agata Bolognese, uma das apenas 20 unidades fabricadas do modelo Sesto Elemento procura comprador. E se só este facto já seria suficiente para ficarmos de nervos em franja, a “piorar” as coisas está não só a garantia dada pelo vendedor de que o carro, originalmente concebido apenas para as pistas, poderá ser legalizado para uma utilização no dia-a-dia, mas também o pormenor de estar à venda por um preço “aceitável”: 2,4 milhões de euros.

A unidade em questão, que vai agora a leilão no Dubai, teve já dois donos, os quais, garante o vendedor, não terão, contudo, feito qualquer quilómetro com o carro. Aliás, garante a mesma fonte, os 198 quilómetros que o modelo regista, é a quilometragem original deste Sesto Elemento.

O vendedor assegura igualmente ter já um contacto estabelecido com uma empresa de engenharia apta a converter, de forma legal, o Sesto Elemento num modelo passível de ser utilizado diariamente. Algo que, refira-se, a acontecer, fará desta unidade a única no mundo com esta mais-valia.

Por outro lado, e embora a empresa que está a vender este Lamborghini nada revele sobre os custos que tal transformação acarretará, é possível referir, como mero indicador, que a empresa britânica Lanzante Motorsport cobra 284 mil euros, sensivelmente, para operar uma transformação semelhante num McLaren P1 GTR.

Recorde-se que a Lamborghini deu a conhecer o Sesto Elemento, em 2010, então apenas como concept. Embora, logo aí, tenham surgido rumores de que o carro poderia vir a passar à produção, ainda que num número muito limitado de unidades. Apresentada a versão de produção, esta surgiu equipada com o já conhecido V10 5,2 litros, a debitar 570 cv, para um conjunto cujo peso, graças à utilização intensiva da fibra de carbono, não ultrapassa os 999 kg. Conjugação que, por outro lado, acaba por contribuir para que o Sesto Elemento acelere dos 0 aos 100 km/h em não mais que 2,5 segundos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR