Considerado um dos Lamborghini mais exclusivos (e caros) da história da marca de Sant’Agata Bolognese, uma das apenas 20 unidades fabricadas do modelo Sesto Elemento procura comprador. E se só este facto já seria suficiente para ficarmos de nervos em franja, a “piorar” as coisas está não só a garantia dada pelo vendedor de que o carro, originalmente concebido apenas para as pistas, poderá ser legalizado para uma utilização no dia-a-dia, mas também o pormenor de estar à venda por um preço “aceitável”: 2,4 milhões de euros.

A unidade em questão, que vai agora a leilão no Dubai, teve já dois donos, os quais, garante o vendedor, não terão, contudo, feito qualquer quilómetro com o carro. Aliás, garante a mesma fonte, os 198 quilómetros que o modelo regista, é a quilometragem original deste Sesto Elemento.

O vendedor assegura igualmente ter já um contacto estabelecido com uma empresa de engenharia apta a converter, de forma legal, o Sesto Elemento num modelo passível de ser utilizado diariamente. Algo que, refira-se, a acontecer, fará desta unidade a única no mundo com esta mais-valia.

Por outro lado, e embora a empresa que está a vender este Lamborghini nada revele sobre os custos que tal transformação acarretará, é possível referir, como mero indicador, que a empresa britânica Lanzante Motorsport cobra 284 mil euros, sensivelmente, para operar uma transformação semelhante num McLaren P1 GTR.

Recorde-se que a Lamborghini deu a conhecer o Sesto Elemento, em 2010, então apenas como concept. Embora, logo aí, tenham surgido rumores de que o carro poderia vir a passar à produção, ainda que num número muito limitado de unidades. Apresentada a versão de produção, esta surgiu equipada com o já conhecido V10 5,2 litros, a debitar 570 cv, para um conjunto cujo peso, graças à utilização intensiva da fibra de carbono, não ultrapassa os 999 kg. Conjugação que, por outro lado, acaba por contribuir para que o Sesto Elemento acelere dos 0 aos 100 km/h em não mais que 2,5 segundos.