Millennium Estoril Open

Gasquet perde no Estoril Open e deixa torneio sem antigos campeões

O tenista francês Richard Gasquet, segundo cabeça de série, caiu esta sexta-feira nos quartos de final do Estoril Open, ao ser derrotado pelo sul-africano Kevin Anderson.

Gasquet foi quebrado por duas vezes, entregando o primeiro 'set' em 33 minutos

MIGUEL A. LOPES/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O tenista francês Richard Gasquet, segundo cabeça de série, caiu esta sexta-feira nos quartos de final do Estoril Open, ao ser derrotado pelo sul-africano Kevin Anderson, depois de uma longa luta de três ‘sets’.

O campeão da primeira edição do Millennium Estoril Open foi afastado pelo 66.º tenista mundial, que venceu por 6-2, 3-6 e 7-6 (7-4), em duas horas e 41 minutos, e avançou para as meias-finais, fase em que irá encontrar o vencedor do embate entre o luxemburguês Gilles Muller e o japonês Taro Daniel.

Depois da derrota do campeão em título, o espanhol Nicolas Almagro, no primeiro encontro dos quartos de final da jornada, frente ao primeiro cabeça de série, o seu compatriota Pablo Carreño Busta, o Estoril Open perdeu o outro antigo vencedor.

O francês provou do ‘veneno’ de Kevin Anderson, que, tal como na quarta-feira, frente a João Domingues, sustentou o seu jogo num serviço potente e colocado, concedendo um único ponto de ‘break’ em todo o primeiro parcial, logo no primeiro jogo, que Gasquet não aproveitou.

Gasquet foi quebrado por duas vezes, entregando o primeiro ‘set’ em 33 minutos, mas começou o segundo com o pé direito, conquistando um ‘break’ que lhe permitiu estar sempre em vantagem. O 23.º tenista mundial elevou o seu nível e, com pormenores de classe, igualou o marcador, conquistando o segundo ‘set’ com novo ‘break’.

Mas Anderson, 66.º da hierarquia ATP, não estava disposto a vender barata a derrota: depois de ser quebrado no segundo jogo, disparou verdadeiros ‘mísseis’ para colocar Gasquet em dificuldade e fazer o ‘contra-break’. O encontro dos quartos de final estava para durar, com os dois a cometerem muitos erros, para levarem o encontro até ao ‘tie-break’. Aí, o segundo pré-designado voltou a falhar, com Anderson, autor de uma grande exibição, a vencer por 7-4.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)