A Altri registou lucros de 17,12 milhões de euros nos primeiros três meses de 2017, uma queda de 31,8% face aos 25 milhões de euros verificados no mesmo período de 2016.

Em comunicado enviado esta sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa de pasta de papel explica este resultado com o preço médio por tonelada de pasta, que nos primeiros três meses de 2017 foi inferior em 7,6% face ao período homólogo, e com os investimentos em realização da Celtejo, que afetam a eficiência da produção daquela unidade.

Entre janeiro e março, as vendas da Altri aumentaram em 8,2% para cerca de 274,3 mil toneladas e a produção 5,4% para 264,4 mil toneladas de pasta face aos mesmos meses de 2016. Já as exportações aumentaram 8% para 250,5 mil toneladas (+8%) e as receitas totais caíram 1% para de 159,8 milhões de euros.

Os custos totais, excluindo amortizações, custos financeiros e impostos, atingiram os 119,7 milhões de euros (+9,2%), valor “ligeiramente acima do incremento homólogo das toneladas vendidas e que foi de 8,2%”, uma subida que é explicada “na quase totalidade” pelo impacto dos investimentos em curso na Celtejo para aumentar a eficiência operacional da unidade.

O EBITDA (resultados líquidos antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de 40,1 milhões de euros no primeiro trimestre, uma queda de 32,2% em termos homólogos. Nos primeiros três meses deste ano, a Altri fez investimentos de cerca de 25 milhões de euros, tendo no mesmo período reduzido endividamento líquido, para os 432,2 milhões de euros. A Altri fechou esta sexta-feira a sessão a perder 1,39% para os 4,329 euros.