Hoje em dia a carroçaria do momento, e que – pelo menos a fazer fé nos números da indústria – certamente continuará a sê-lo nos próximos anos, os SUV e crossovers poderão conduzir à extinção de outras variantes. Quem o afirma é o responsável máximo pela imagem da Lexus a nível global, o japonês Tokuo Fukuichi, que vaticina o fim daquela que é a carroçaria mais conservadora, os sedans, por causa do sucesso das propostas de imagem mais aventureira.

No entender deste responsável, os sedans só conseguirão sobreviver ao sucesso dos crossover, caso optem por uma de duas estratégias: ou apostam na dinâmica de condução, ou centram-se naquilo que será, no futuro, o luxo.

Para Fukuichi, numa altura em que SUV e crossovers se assemelham cada vez mais aos sedans na condução, pouco mais resta a estes últimos que oferecerem aquilo que os anteriores (ainda) não são capazes. “A menos que consigamos oferecer uma verdadeira experiência de condução nos sedans, dificilmente estes continuarão a conviver, no futuro, com os SUV e crossovers”, afirma Tokuo Fukuichi. Acrescentando ter mesmo “dúvidas de que os sedans consigam sobreviver, caso não evoluam”.

Curioso é também o facto de este responsável acreditar que, no caso da Lexus, o lançamento de uma carrinha poderá ajudar a afastar os sedans da marca da beira do precipício para onde supostamente se encaminham. “A uma dada altura, o sedan tradicional, três volumes, de linhas quadradas, desaparecerá por completo”, prevê Tokuo Fukuichi.

Quiçá a confirmar estas previsões mais “catastrofistas”, rumores falam na possibilidade de a Lexus deixar cair pelo menos um dos seus actuais sedans, ainda que para colocar no seu lugar um modelo capaz de oferecer, à partida, melhores sensações de condução, como parece ser o novo LS, apresentado no início do ano, em Detroit. E que trará consigo não só o novo V6 turbocomprimido, mas também argumentos dinâmicos mais evoluídos.

Ao mesmo tempo, fala-se na hipótese de a Lexus vir a contar com um terceiro crossover, muito provavelmente derivado do protótipo UX que a marca deu a conhecer em 2016. O que, a acontecer, faria aumentar para três (já existe o RX e o NX) o número de modelos do género comercializados pela marca de luxo da Toyota. O UX poderá vir a dar origem a um SUV compacto, que em termos line-up irá posicionar-se abaixo do NX, transformando-se assim no novo modelo de entrada da família SUV da Lexus.