A visita do papa Francisco a Portugal é motivo de grande satisfação para a comunidade hindu, que, além de se relacionar bem com todas as religiões, também vai frequentemente a Fátima cumprir promessas e por uma vela.

Em entrevista à agência Lusa, a propósito da visita de dois dias a Portugal do papa Francisco, o presidente da comunidade hindu de Portugal revelou que a vinda do líder da igreja católica tem grande significado e é motivo de grande satisfação.

Kantilal Jamnadas sublinhou que o hinduísmo é uma religião que se relaciona bem com todas as outras e que estando num país maioritariamente católico, a forma de estar é de admiração e respeito.

Inclusive a minha família e os meus associados vão frequentemente a Fátima fazer as suas orações, têm as suas promessas, põem a sua velinha. Portanto é com a maior satisfação porque é imensamente benéfico para todos nós, para Portugal e para a comunidade hindu também”, apontou.

O responsável anunciou até que era intenção da atual direção da comunidade apresentar cumprimentos “a sua santidade” e receber o papa Francisco “com a tradicional cerimónia hindu”. “Infelizmente, derivado à escassez do tempo, não foi possível”, lamentou Kantilal Jamnadas.

O líder da comunidade hindu justificou esse bom relacionamento com todas as religiões com o facto de haver apenas um único deus, que “pode é ter formas diferentes de o ser” e revelou inclusive que quando acolhem teólogos que vêm da Índia, levam-nos sempre a Fátima.

Levamos com muito carinho, respeitamos e sentimos. A fé é igual, o deus é único”, sublinhou.

Segundo Kantilal Jamnadas, deverão ser algumas centenas de pessoas, de entre uma comunidade de cerca de seis mil hindus, que anualmente vão a Fátima.

Já me cruzei lá com pessoas que foram fazer o seu convívio, o seu pic-nic, depois de uma oração, de uma visita ao santuário, até porque o santuário é um lugar a que vêm pessoas de todo o mundo, não fazia sentido se nós também não sentíssemos o carinho por Fátima”, sublinhou.

No que diz respeito àquela que poderá a mensagem do papa, Kantilal Jamnadas lembrou que Francisco tem tido muitas iniciativas de aproximação com as outras religiões do mundo, mas tendo em conta o pouco tempo que vai estar em Portugal, “é natural que esteja mais dirigido para os seus fiéis”.

Mesmo na própria cerimónia em si está implícito o pensamento da harmonia, do bem-estar para com outros povos que não sejam católicos. Essas posições são conhecidas e todos nós valorizamos imenso a sua humildade, a sua aproximação, o seu carinho. Tudo aliás tem muito a ver com o hinduísmo. Nesse sentido, estou totalmente tranquilo e feliz por ver a mensagem que ele passar”, destacou.

O líder da comunidade hindu disse ainda ter a esperança que o papa Francisco volte a Portugal, numa visita com mais tempo, com direito a ser recebido com a cerimónia hindu. Admitiu mesmo que se o líder da igreja católica visitasse a Lisboa, usaria de todas as suas influências para que o papa visitasse o templo hindu.

Numa próxima visita porque não sonhar em ter cá sua santidade no templo, até porque esse é que é o objetivo do templo, reunir todas as religiões e que possamos conviver em harmonia e fraternidade”, rematou Kantilal Jamnadas.

Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio, para canonizar os dois pastorinhos Jacinta e Francisco no centenário das “aparições” na Cova da Iria, em 1917. Os anteriores papas a estar em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).