Papa em Fátima

Maioria dos portugueses dá boa nota ao Papa Francisco

Um estudo do Instituto Português de Administração de Marketing revela que mais de metade dos inquiridos consideram excelente o trabalho desenvolvido pelo Papa Francisco.

Numa das perguntas de resposta aberta - sem qualquer sugestão de escolha - 60% dos inquiridos consideraram o papa Francisco "inovador" e 40% "revolucionário"

MICHAEL KAPPELER/EPA

Um estudo desenvolvido pelo Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) sobre hábitos religiosos dos portugueses e o papa revela que mais de metade dos inquiridos consideram excelente o trabalho pastoral de Francisco.

Segundo revelou à agência Lusa o coordenador do estudo, Pedro Mendes, numa escala entre excelente e mau, 65% dos 1.200 participantes no inquérito respondido online considerou o trabalho pastoral do papa Francisco “excelente”.

Se juntarmos o bom e o excelente a percentagem fica nos 91%”, acrescentou Pedro Mendes, revelando ainda que 79% dos portugueses atribui grande importância à visita do papa Francisco ao santuário de Fátima, no centenário das “aparições”, a 12 e 13 de maio.

Numa das perguntas de resposta aberta – sem qualquer sugestão de escolha – 60% dos inquiridos consideraram o papa Francisco “inovador” e 40% “revolucionário”. “Inovador” foi ainda a característica apontada a Jorge Bergoglio pela maioria dos participantes (25%).

O estudo da instituição de marketing, realizado para assinalar a primeira visita do papa Francisco a Portugal, revela ainda que 70% dos portugueses se identifica como católica. Dos auscultados que não vão acompanhar a visita em Fátima, 70% revelou também que pretende fazê-lo através da cobertura dos órgãos da comunicação social e das redes sociais.

O estudo do IPAM permite ainda confirmar que 75% da população portuguesa tem afinidade religiosa e identifica a sua religião de forma concreta, embora apenas 51% frequente habitualmente locais de culto e oração como igrejas, mesquitas ou sinagogas. Destes, 22% visitam o local de culto, pelo menos, uma vez por semana, enquanto apenas 6% tem uma maior frequência. De assinalar, contudo, que a grande maioria (72%) admite a prática de orações ou ações de meditação religiosa.

Surpreendente talvez seja o facto de mais de 10% assumir-se como ateu (6,4%) ou agnóstico (5,4%) e 3,5% das pessoas serem indiferentes”, revelou Pedro Mendes.

O coordenador do estudo acrescentou que o trabalho evidencia ainda que a tradição familiar prevalece na opção pela religião escolhida (63%), com apenas 35% dos portugueses a referir ser fruto de uma convicção pessoal.

Ao analisar os hábitos religiosos da população portuguesa, o IPAM conclui também que apenas 5% dos crentes portugueses assume ter mudado de religião ao longo da vida e 93% dos inquiridos indicou ter realizado pelo menos um sacramento religioso.

Pedro Mendes adiantou que este estudo é “mais fidedigno sobre a representação da população portuguesa” do que o inquérito realizado em 2015. Segundo o professor, este trabalho “consegue um equilíbrio dos vários estratos e de diferentes regiões”, por ser “online”, o que “abrange outro tipo de pessoas, como os jovens”.

O estudo “Hábitos Religiosos da População Portuguesa & o Papa Francisco” foi elaborado pelo IPAM com base em 1.200 inquiridos, com mais de 18 anos de Portugal Continental e Ilhas, que realizaram o inquérito através da plataforma online (www.pesquisaonlione.com), entre 12 de março e 19 de abril de 2017, abrangendo todo o território nacional, com uma amostra proporcional estratificada por região, com uma margem de erro de 3%.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O vídeo das nossas vidas

Helena Matos
904

Beija-mão presidencial ao Papa em Monte Real. Um primeiro-ministro a brincar às amas. O país olha para o lado. E indigna-se com o "Correio da Manhã". É a propaganda, senhores. É a propaganda.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)