O PP de Mariano Rajoy voltaria a vencer em Espanha, com 31,5% das intenções de voto, caso as eleições fossem hoje. Com 19,9%, o PSOE recuperaria a segunda posição, atirando o Podemos de Pablo Iglesias para a posição de terceira força política mais votada, de acordo com uma sondagem do Centro de Investigaciones Sociológicas publicada esta terça-feira no El País. O Ciudadanos mantém-se em quarto lugar (com 14,9%) das intenções.

Mesmo mantendo a liderança, Rajoy perde terreno para o segundo partido mais votado. Dos 33% conseguidos na última sondagem do centro madrileno, o PP obtém agora menos 1,5% das intenções, que contrastam com uma subida quase equiparada (mais 1,3% dos votos) dos socialistas. O PSOE que, no final do mês, vai clarificar as dúvidas sobre a sua liderança. Pedro Sánchez, Susana Díaz e Patxi López disputam o cargo de secretário-geral.

O grande tombo teve como protagonista a coligação liderada pelo Podemos (e que junta a Izquierda Unida, En Comú Podem, Compromís e outras forças). Tinham 21,7% das intenções em fevereiro e caem agora para os 19,7%, numa avaliação ao pulso dos eleitores feita já depois de Pablo Iglesias ser confirmado como líder da segunda força política em Madrid — ao derrotar Íñigo Errejón na corrida interna a secretário-geral.

A sondagem foi realizada no início de abril. Um enquadramento temporal que pode ter poupado o PP ao efeito do caso Lezo, mais um escândalo de corrupção que abalou a estrutura dos populares. Ignacio González, ex-presidente da comunidade de Madrid, foi detido no final do mês passado por suspeitas de ter desviado cerca de 23,3 milhões de euros dos cofres públicos.