Os lucros da REN mais do que duplicaram no primeiro trimestre deste ano, tendo atingido os 13,5 milhões de euros, um aumento de 7,4 milhões de euros face ao período homólogo, anunciou esta quinta feira a empresa.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a REN – Redes Energéticas Nacionais indica que este resultado verificado nos primeiros três meses de 2017 traduz “a melhoria do desempenho financeiro da empresa, bem como dos resultados operacionais durante o período”. O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) situou-se nos 123,7 milhões de euros, mais 2,1% do que no mesmo período do ano passado.

Entre janeiro e março, a REN apresentou “um desempenho financeiro e operacional estável, em linha com o esperado, destacando-se o aumento do resultado líquido e a redução do custo médio da dívida”, sublinhando, no entanto, que este desempenho continua a ser “afetado pelo efeito negativo da CESE [Contribuição Extraordinária sobre do Setor Energético]”, que ascendeu a 25,8 milhões de euros neste período, em linha com os 25,9 milhões pagos nos mesmos meses de 2016.

A REN dá ainda conta de que, na reunião da assembleia geral de acionistas, que decorreu esta manhã, foi aprovado o pagamento de um dividendo de 17,1 cêntimos por ação relativamente a 2016.

No primeiro trimestre deste ano, a produção renovável abasteceu cerca de metade do consumo nacional de eletricidade, tendo as hídricas representado 19% (o que se deveu ao facto de a afluência às barragens continuar abaixo da média) e as eólicas 26%. Por outro lado, as não renováveis abasteceram os restantes 49% do consumo nacional: 22% por carvão e 27% por gás natural.

Os títulos da REN fecharam hoje a sessão a perder 0,42% para 2,87 euros.