O número de menores não acompanhados que apresentaram pedidos de asilo na União Europeia reduziu-se em quase um terço, para os 63.290, de 2015 para 2016, divulga esta quinta-feira o Eurostat.

Segundo os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE, em 2015 chegaram à UE 96.465 pedidos de asilo por parte de menores não acompanhados, número que se reduziu para 63.290 no ano passado, um total que, ainda assim, é quase cinco vezes superior à média anual no período 2008-2013 (cerca de 12.000 por ano).

Na UE, 38% dos menores que pediram asilo são afegãos (23.990), 19% sírios (11.990) e 7% iraquianos (4.155).

A grande maioria dos menores não acompanhados que pediram proteção internacional é do sexo masculino (89%) e os menores de 14 anos representam 10% do total.

A Alemanha foi o Estado-membro que maior número de pedidos de asilo recebeu (35.935, o que representa 57% do total da UE), seguindo-se a Itália (6.020, 10% do total), a Áustria (3.900, 6%) e o Reino Unido (3.175, 5%).

Portugal recebeu, em 2016, 25 pedido de asilo por parte de menores não acompanhados, dez provenientes da República Democrática do Congo, cinco da Costa do Marfim e os restantes de outras nacionalidades.