FBI

Trump: “Sei que não estou a ser investigado”

O presidente dos EUA perguntou diretamente ao diretor do FBI -- que entretanto despediu -- se estava sob investigação. Ele disse-lhe que não. Trump diz que já pensava afastar James Comey.

Getty Images

Donald Trump interpelou diretamente o ex-diretor do FBI para saber se estava sob suspeita, tendo em conta a investigação em curso para apurar quais as relações existentes entre elementos da campanha do agora presidente e responsáveis russos. “Perguntei ao diretor do FBI se estava a ser investigado”, admitiu Trump, dizendo ainda que recebeu de James Comey uma resposta negativa. Quando as afastamento do ex-diretor do FBI (despedido esta semana), Trump diz que já se tinha decidido a fazê-lo antes de receber recomendações nesse sentido.

Sem reservas, o presidente norte-americano falou diretamente com o diretor do FBI. Queria saber se, no âmbito da investigação do FBI a elementos da sua equipa, e ficou a saber que não, o seu nome não constava da lista de pessoas sob suspeita para a organização. É por isso que, em entrevista à NBC News, Trump afirma categoricamente: “Eu sei que não estou sob investigação.”

Esta terça-feira, a notícia de que Trump tinha decidido afastar James Comey da direção do FBI caiu como uma bomba em Washington. Não tardaram a surgir rumores insinuando que por trás da decisão estaria o objetivo de proteger as suas próprias costas. Saía Comey — bastante interessado em perceber quais as reais ligações entre o núcleo duro do então candidato à presidência Donald Trump e oficiais russos e a influência destes na campanha que levou à eleição do candidato republicano — entraria alguém menos interessado nessa investigação em particular.

Na entrevista, Trump garante que a decisão de afastar Comey foi exclusivamente sua. O presidente dos EUA ia fazê-lo “independentemente” das recomendações do Departamento de Justiça. “Não há um momento certo para fazê-lo”, mas é certo, garante, que tomou a decisão sozinho.

Esta quinta-feira, o diretor interino do FBI e outros altos responsáveis de várias agências norte-americanas — por exemplo, como a CIA — testemunham perante uma comissão do Congresso sobre o momento atual vivido em cada um dos organismos. Andrew McCabe garantiu que não houve “qualquer esforço” junto de responsáveis do FBI para impedir investigações.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: prainho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)