Presidente Trump

Maioria dos norte-americanos considera despedimento do diretor do FBI inapropriado

Segundo uma sondagem, a maioria dos norte-americanos (54%) considerou inapropriada a decisão de Donald Trump de despedir o diretor do FBI, James Comey.

SHAWN THEW/EPA

A maioria dos norte-americanos (54%) considerou inapropriada a decisão do Presidente dos Estados Unidos de despedir o diretor da polícia federal (FBI), James Comey, indicou uma sondagem divulgada na quinta-feira pela cadeia televisiva NBC.

A sondagem indicou também que 46% dos inquiridos disseram acreditar que o verdadeiro motivo da demissão foi a investigação, liderada por James Comey, às alegadas relações entre a equipa de campanha eleitoral de Donald Trump e o Governo da Rússia.

A Casa Branca garantiu que a demissão deveu-se à gestão do caso dos e-mails da antiga candidata presidencial democrata Hillary Clinton.

Apenas 24% dos norte-americanos apoiaram a versão oficial do Governo, enquanto 22% consideraramu existir outro motivo por detrás da decisão, de acordo com a sondagem, realizada pela firma SurveyMonkey.

Entre os eleitores democratas, dois terços (67%) disseram acreditar que a razão verdadeira foi a investigação sobre as ligações da campanha de Trump com a Rússia, enquanto apenas 13% afirmaram confiar na versão oficial.

Menos de metade (43%) dos eleitores republicanos acreditaram no argumento da Casa Branca, ao passo que 22% consideraram que a investigação do FBI à alegada ingerência russa nas eleições presidenciais foi o motivo real.

Entre os republicanos inquiridos, 79% consideraram que o despedimento foi adequado, contra 83% dos democratas que o rejeitaram.

O inquérito da SurveyMonkey, realizado ‘online’ na quarta e na quinta-feira, contou com uma amostra de 3.746 pessoas e tem uma margem de erro de 2,5%.

A decisão do Presidente dos Estados Unidos de demitir o chefe do FBI suscitou uma onda de indignação entre os representantes do Partido Democrata e entre os colunistas de opinião na imprensa norte-americana.

O Partido Democrata chegou mesmo a comparar o episódio à tentativa de encobrimento feita pelo Presidente Richard Nixon no caso Watergate.

O despedimento do diretor do FBI – algo que só tinha acontecido uma vez na história dos Estados Unidos – teve lugar um dia antes de Donald Trump receber na Casa Branca o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Presidente Trump

As duplas faces de Trump

Salvador Furtado
124

Trump faz da política um jogo. Enfraquece os outros à procura de se fortalecer a si. A visita ao Reino Unido foi como uma corrida de cavalos e Trump fez uma aposta – num senhor com o cabelo como o seu

União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)