A Petrobras obteve lucros de 4,4 mil milhões de reais (1,3 mil milhões de euros) no primeiro semestre do ano, revertendo o prejuízo de 1,2 mil milhões de reais (350 milhões de euros) registados no mesmo período do ano anterior.

Segundo um comunicado divulgado pela empresa na noite de quinta-feira, o resultado foi alcançado com o corte de gastos com importação de petróleo e derivados, em função da maior participação do petróleo brasileiro na carga processada e da maior oferta de gás natural.

As exportações de petróleo e derivados produzidos pela companhia aumentaram 72% e beneficiaram de um preço médio do barril mais elevado e da valorização do petróleo nacional.

A Petrobras destacou que nos três primeiros meses de 2017 também teve “despesas menores com as vendas gerais e administrativas. Além disso, houve redução das despesas financeiras líquidas e menores gastos com baixas de poços secos”.

A petrolífera estatal brasileiro alcançou uma produção total de petróleo e gás natural de 2.805 mil barris por dia (boed).

“Foram produzidos 2.248 mil bpd de petróleo, sendo 2.182 mil bpd no Brasil, 10% acima do primeiro trimestre de 2016”, destacou a Petrobras.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (da sigla em inglês Ebitda), atingiu 25,2 mil milhões de reais (7,3 mil milhões de euros) no primeiro trimestre do ano, resultado 19% superior ao mesmo período de 2016.

A dívida da Petrobras somou 300,1 mil milhões de reais (87,9 mil milhões de euros) em março, montante que indica uma queda de 4% ante os 314,1 mil milhões de reais (92 mil milhões de euros) registados no último trimestre do ano passado.

“Com maior geração operacional e redução de investimentos em 34% em relação ao primeiro trimestre de 2016, alcançamos um fluxo de caixa livre de 13,4 mil milhões de reais (3,9 mil milhões de euros) “, concluiu a companhia.