Presidente Trump

Trump gravou conversas com FBI? A Casa Branca não desmente

O secretário de imprensa de Donald Trump não desmentiu que o Presidente dos EUA tenha gravado conversas com James Comey, o ex-diretor do FBI que ele despediu -- nem que não grave outras na Casa Branca

Sean Spicer foi bombardeado com perguntas dos jornalistas sobre o súbito despedimento do diretor do FBI

Getty Images

O Secretário de Imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, recusou-se esta sexta-feira a confirmar que Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, não gravou as conversas que manteve com o ex-diretor do FBI, James Comey, na Sala Oval. E também não negou, sem deixar sombra de dúvida, que o Presidente não mantenha escutas na Casa Branca.

Numa conferência de imprensa dura e longa, Spicer foi obrigado a responder a uma chuva de perguntas dos jornalistas já que esta foi a primeira oportunidade dada à comunicação social para tentar entender, através de uma fonte oficial, as razões que terão levado Donald Trump a despedir, subitamente, James Comey e também questionar as recentes insinuações do Presidente de que existirão gravações das conversas que este manteve com Comey.

“Para o bem de James Comey é bom que não haja ‘gravações’ das nossas conversas antes de começar a passar informações à imprensa”, tweetou o Presidente, deixando no ar a ideia de que teria o registo dos encontros que manteve com o diretor do FBI na Casa Branca.

“Eu falei com o presidente sobre isso e ele não tem mais nada a acrescentar. Os tweets falam por eles mesmos”, uma resposta de Sean Spicer que não nega que Trump tenha de facto gravado a conversa. Pressionado a dizer se Trump estaria a gravar todas as conversas que acontecem na Casa Branca, Spicer repetiu: “Não tenho nada a acrescentar em relação a isso”. O Presidente tem insistido que Comey lhe terá confirmado, por três vezes, que ele não era objeto de investigação no processo que decorre para averiguar os contactos que alguns membros da administração Trump terão mantido com oficiais — e espiões — russos durante a campanha para as presidenciais de 2016.

Este tweet foi parte de uma série de “disparos” de Donald Trump, que incluiu um contra os meios de comunicação em que insinuou que os briefings na Casa Branca poderiam ter os dias contados.

“Talvez a melhor coisa a fazer seja cancelar as comunicações diárias à imprensa e enviar, em vez disso, respostas escritas para garantirmos precisão???”, escreveu Trump no Twitter. Na conferência de imprensa, Sean Spicer confirmou a “irritação” do Presidente. “Nós estamos aqui todos os dias, chegamos cedo e saímos tarde, trabalhamos para vos dar informação e vocês pegam em uma única palavra, em uma única frase e ‘ah-ah!’ de repente têm uma história. Claro que o Presidente está frustrado. Ele quer uma América mais próspera e mais segura e vocês andam a esmiuçar as entrelinhas em vez de falarem das políticas que ele quer instaurar”, disse Spicer.

Sean Spicer disse ainda que o Departamento de Justiça já tem uma lista de candidatos para o lugar de James Comey e deve começar em breve as entrevistas para encontrar o novo diretor do FBI. Trump quer um novo diretor, segundo Sean Spicer, “que possa restaurar a liderança e a moral do FBI”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Presidente Trump

As duplas faces de Trump

Salvador Furtado
124

Trump faz da política um jogo. Enfraquece os outros à procura de se fortalecer a si. A visita ao Reino Unido foi como uma corrida de cavalos e Trump fez uma aposta – num senhor com o cabelo como o seu

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)