Um militar da Guarda Nacional Republicana (GNR) foi libertado esta segunda-feira por um juiz de instrução criminal do Tribunal de Alijó depois de ter sido detido no passado sábado por ter disparado a sua arma de fogo num café em Alijó, em Vila Real. A GNR garante que o disparo não colocou ninguém em perigo de vida.

Foi aberto um processo disciplinar ao militar da GNR “a fim de averiguar as circunstâncias de facto e apurar eventuais responsabilidades”, disse a GNR ao Jornal de Notícias.

A mesma fonte adianta que o militar da GNR foi ouvido no Tribunal de Alijó esta segunda-feira mas irá regressar no final do mês uma vez que apresentou recurso e saiu sem medidas de coação.

Uma fonte da Divisão de Comunicação e Relações Públicas da GNR em declarações à agência Lusa confirmou que o militar se encontrava fora do horário de serviço quando disparo.