A agência de cibersegurança da Coreia do Sul informou esta terça feira que uma dezena de empresas do país foram afetadas pelo programa maligno ‘WannaCry’, após o ciberataque lançado na sexta-feira a nível mundial.

A agência de internet e segurança da Coreia (KISA) considerou que os possíveis danos do ataque podem continuar a propagar-se a nível doméstico, “durante um prazo entre nove a 15 dias”, pelo que alertou para a necessário continuar a reforçar as medidas de segurança, de acordo com um comunicado do gabinete de segurança sul-coreano.

Entre as empresas afetadas está a cadeia de cinemas multiplex CJ CGV, que sofreu problemas em pelo menos 50 instalações no país, e um sistema de horários da rede de transportes públicos da localidade de Asan, a cerca de 100 quilómetros de Seul, informou a agência noticiosa sul-coreana Yonhap.

O gabinete de segurança nacional sul-coreano, a que responde a KISA, explicou ter enviado informação aos responsáveis pela segurança informática das grandes empresas e tomado medidas para fortalecer as ‘firewalls’ das instituições públicas.

O vírus ‘WannaCry’ limita ou impede aos utilizadores o acesso ao computador ou a ficheiros, exigindo ao proprietário um pagamento em troca de um código para resolver o problema. O ataque afetou mais de 200.000 computadores em 150 países e foi de “um nível sem precedentes”, admitiu, no sábado,o Serviço Europeu de Polícia (Europol).

A China informou já existir uma mutação no vírus que restringe ainda mais o acesso aos equipamentos infetados. O ciberataque atingiu hospitais no Reino Unido, grandes empresas em França e Espanha, a rede ferroviária na Alemanha, organismos públicos na Rússia e universidades na China, entre outros serviços e instituições.

Em Portugal, a empresa de energia EDP cortou os acessos à Internet da rede para prevenir eventuais ataques informáticos e garantiu que não foi registado qualquer problema. A Portugal Telecom alertou os clientes para o vírus perigoso (‘malware’) a circular na Internet, e pediu aos utilizadores que tenham cautela na navegação na rede e na abertura de anexos no ’email’.