Ford

Ford projeta cortar milhares de empregos no mundo

A fabricante de automóveis Ford pode demitir até vinte mil empregados em todo o mundo para economizar dinheiro e melhorar a rentabilidade, disse uma fonte próxima da empresa à agência noticiosa AFP.

Os especialistas dizem que 2017 será o primeiro ano de declínio nas vendas de automóveis nos Estados Unidos desde 2009.

CJ GUNTHER/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A fabricante de automóveis Ford pode demitir até vinte mil empregados em todo o mundo para economizar dinheiro e melhorar a rentabilidade, disse esta terça feira uma fonte próxima da empresa à agência noticiosa AFP.

A segunda maior fabricante de automóveis dos Estados Unidos da América (EUA) em termos de vendas, que atualmente emprega 202.000 pessoas a tempo inteiro e parcial, confrontada com a desaceleração do mercado automóvel nos EUA, vai anunciar os cortes no emprego nos próximos dias.

O diretor executivo da empresa, Mark Fields, está sob pressão dos acionistas para clarificar a sua estratégia e espera que as medidas de austeridade lhe permitam economizar cerca de três mil milhões de dólares (2,74 mil milhões de euros) em 2017.

A Ford vendeu 214.695 carros novos em abril, menos 7,2% que em abril de 2016, o que corresponde a uma diminuição geral das vendas.

Os especialistas dizem que 2017 será o primeiro ano de declínio nas vendas de automóveis nos Estados Unidos desde 2009.

“Nós ainda não anunciámos medidas de poupança em relação a empregados e não comentamos especulações”, disse à AFP um porta-voz da empresa.

“Continuamos focados em três prioridades estratégicas que criem valor e provoquem um crescimento do lucro (…) reduzir os custos e tornar-se tão ágil e eficiente quanto possível”, acrescentou.

Mark Fields reforçou os investimentos em tecnologia, comprando empresas emergentes especializadas em inteligência artificial, reforçando a presença da Ford em Silicon Valley (região no oeste dos EUA onde está situado um conjunto de empresas para gerar inovações científicas e tecnológicas) e tentando que a fabricante automóvel faça parte dos primeiros grupos que vão comercializar um veículo sem motorista.

A Ford registou um aumento de 7% dos seus custos no primeiro trimestre, principalmente devido ao aumento dos preços das matérias-primas, à garantia de contratos de qualidade e aos investimentos.

Prémios Auto 2017 Observador - A escolha dos portugueses

Coube-lhe a si decidir e está decidido. As votações para eleger os melhores automóveis introduzidos no mercado em 2017 estão oficialmente fechadas. Confira aqui os finalistas em cada uma das categorias. Dia 19 há festa (e você vai fazer parte dela).

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carroVer finalistas
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site