A nova geração do conhecido roadster desportivo da BMW Z4, que pela primeira vez está a ser desenvolvido com outro construtor, a Toyota, deverá ser dada a conhecer, naquela que é a sua versão de produção, ainda este ano. Embora, segundo acaba de garantir o director-geral da BMW América do Norte, Ludwig Willisch, não com a designação Z5 (que todos esperavam); mas sim mantendo a designação Z4, o que contraria aquela que tem sido a tradição. Até agora.

“A verdade é que não existe nada com o nome Z5”, começou por garantir, em declarações à AutoGuide, Ludwig Willisch. Admitindo que, embora exista efectivamente o projecto de “um desportivo”, não será um Z5. “Isso foi algo que alguém inventou.”

Descartando por completo a hipótese de o sucessor do Z4 não vir a conhecer a luz do dia, o responsável máximo da BMW na América do Norte frisa, no entanto, que, sendo uma nova geração, “chamar-se-á de certeza de Z… muito provavelmente, 4”. Até porque, acrescentou, “não existe qualquer indicação sobre o número de cilindros que o motor exibirá”. Recorde-se, a propósito, que os rumores que por aí correm sugerem que o descapotável alemão deverá chegar ao mercado tanto com motores a gasolina de quatro cilindros, turbocomprimidos, como com propulsores de seis cilindros.

Ainda sobre o novo modelo, sabe-se que está a ser desenvolvido em conjunto pela BMW e pela Toyota, sendo que as últimas notícias indicam que não só manterá a tracção traseira, como será fabricado na Europa. Na marca nipónica, o modelo deverá dar origem ao novo Supra.

Anunciando um aumento nas dimensões, mas também uma redução no peso, a segunda geração Z4 deverá exibir capota em tecido, em detrimento de um tecto rígido retráctil.