O Banco Popular, que tinha desmentido na semana passada qualquer urgência na venda, emitiu esta terça-feira um comunicado em que pede que as manifestações de interesse sejam feitas até ao final do dia. Segundo o El Español, há um sentimento de “urgência” em torno desta operação — o banco indicou, numa nota ao regulador do mercado, que “depois de um primeiro intercâmbio de informação”, foi pedido às instituições financeiras interessadas no banco que “façam uma demonstração preliminar de interesse até ao dia de hoje, para se continuar a analisar uma possível operação”.

A notícia foi avançada, em primeira mão, pelo Expansión, esta manhã. O jornal indicava que alguns bancos tinham demonstrado interesse em estudar uma possível fusão de algumas operações — já essa notícia do Expansión dizia que a intenção do Popular era pedir aos interessados que fizessem propostas, não vinculativas mas que servissem para avançar no processo.

Segundo o Expansión, o Santander, o CaixaBank (dono do BPI) e o BBVA estão entre os bancos que demonstrariam interesse caso a venda seguisse em frente. Além disso, o Sabadell, antigo acionista do BCP, e uma outra entidade estrangeira também demonstraram algum interesse.

O Banco Popular tem estado sob alguma pressão para reforçar os capitais e escoar algumas das exposições de crédito problemáticas. Foram contratados o JP Morgan e a Lazard para ajudar o banco a perceber as opções de venda ou, eventualmente, um aumento de capital no mercado.