Se o Leaf é o automóvel eléctrico mais vendido em todo o mundo, não espanta que a Nissan seja ainda a marca preferida pelos operadores de táxis quando pretendem electrificar, parcial ou totalmente, as suas frotas.

Neste domínio, o pontapé de saída foi dado por uma empresa japonesa, quando, em 2013, decidiu substituir por completo a sua oferta de táxis convencionais por uma frota de Leaf. Desde então, o Leaf e a e-NV200 dedicam-se a este tipo de serviço em nada menos do que 113 de 26 países distribuídos pelos cinco continentes – Portugal incluído.

Embora sem revelar qual o número exacto de táxis Nissan existentes no globo, a marca nipónica aproveitou para destacar alguns dados relativos à poupança que esta sua frota permitiu alcançar em termos de emissões poluentes, e dos custos de operação e manutenção para as empresas que os exploram. Contas feitas, esta frota de táxis assegurou uma poupança de 90.385 toneladas de emissões de CO2, uma redução dos custos operacionais de 60% (graças a um custo por quilómetro médio de 0,03€), uma redução de 40% dos custos de manutenção e uma poupança de 28,5 milhões de euros em combustível, por comparação com táxis movidos a motores térmicos.