Nos últimos anos a Internet tem ganho um aumento exponencial no número de utilizadores. Muitos destes novos acessos devem-se à massificação dos smartphones e tablets associados às redes sociais, que representam já a maioria desses acessos .

Portugal esteve sempre a acompanhar esta tendência mundial e, segundo um relatório do Movimento Pela Utilização Digital Ativa (MUDA), o país tem evoluído bastante nas ofertas de serviços online e de infraestruturas digitais. Já os portugueses não conseguiram, ainda, acompanhar a mesma tendência pois limitam a utilização da Internet ao email, às redes sociais, à consulta de notícias e à visualização de vídeos ou para ouvir música.

Segundo os dados divulgados em comunicado pelo MUDA, Portugal é um país digital, onde 70% da população utiliza a Internet. Apesar de ser um feito, continuamos abaixo da média da União Europeia e dos países líderes na Europa.

No que toca ao acesso individual à Internet, Portugal tem mais de um quarto dos portugueses (26%) sem nunca terem acedido à rede. Este valor, quando comparado com o país vizinho, Espanha, e com as médias europeias, está muito acima dos restantes países europeus.

As competências digitais continuam a ser um problema, uma vez que existem ainda muitas pessoas (e mesmo empresas) que não as possuem. Portugal tem apenas 28% dos utilizadores com este tipo de formação, quando a média dos países da União Europeia está acima dos 50%.

As compras online também fazem parte do estudo do MUDA que mostra que apenas 29% dos portugueses se sentem à vontade para utilizarem serviços bancários online e, esse valor, sobe para os 31% quando se trata de realizar compras na Internet. Este é um valor muito baixo, uma vez que a média europeia dos países líderes é de 83%.

Apenas 8% dos portugueses fazem compras de supermercado online