Os governos dos Estados Unidos da América e de Angola pretendem reforçar a cooperação no domínio na Defesa, na sequência da assinatura, esta quinta feira, em Washington, de um memorando de entendimento.

O documento foi subscrito no Pentágono pelo secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, e pelo ministro da Defesa Nacional de Angola, João Lourenço, que afirmou tratar-se de um entendimento que representa “algo de muito sério” para o lado angolano e que “ambos os países sairão a ganhar”.

Vai permitir estreitar cada vez mais os laços de cooperação no domínio da Defesa entre os nossos países”, disse ainda João Lourenço, embora não sendo ainda conhecido o teor deste memorando de entendimento e áreas que vai cobrir.

Em declarações aos jornalistas, o ministro angolano fez questão de sublinhar que foi dada “autorização por escrito do Presidente da Republica”, José Eduardo dos Santos, para a assinatura deste memorando de entendimento na capital norte-americana.

Citado pela imprensa angolana, o secretário de Defesa, James Mattis, explicou que os Estados Unidos têm partilhado informação com as autoridades de Angola e já apoiam na formação de oficiais, parceria que pretendem agora elevar de nível. “Esperamos construir uma parceria mutuamente benéfica”, apontou James Mattis.

Angola cumpre o segundo mandato à frente da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), tendo apoiado a mediação de vários conflitos que têm surgido envolvendo países desta região, como na República Democrática do Congo ou República Centro-Africana.