O secretário de Estado das Comunidades confirmou, este sábado, que um cidadão de nacionalidade portuguesa morreu e outros três foram detidos na sequência das manifestações na Venezuela contra as políticas do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

“Há a confirmação de três portugueses detidos por seguimento das manifestações, que decorreram nestes últimos dias na Venezuela. E também podemos confirmar que faleceu um cidadão com nacionalidade portuguesa na terça-feira passada”, afirmou José Luís Carneiro, em declarações à TSF.

O secretário de Estado não quis revelar pormenores sobre a identidade da vítima, avançando apenas que se trata de “um cidadão com nacionalidade portuguesa [e] com 31 anos”.

Segundo a TVI24, a vítima é 0 biológo Diego Fernando Arellano Figueiredo, que foi atingido por uma bala de borracha no peito durante um protesto em San António de los Altos.

José Luís Carneiro adiantou ainda que foram reforçados os números de funcionários na embaixada portuguesa em Caracas. “Depois de termos contratado uma colaboradora para os serviços da embaixada com o perfil de assistente técnica, vamos colocar também mais um conselheiro social no fim do mês”, disse o secretário de Estado.

Segundo a Lusa, os três portugueses detidos manifestavam-se na localidade de Los Teques, no Estado de Miranda, a sul de Caracas. A detenções tiveram lugar na segunda-feira, sendo que inicialmente os portugueses foram dados como desaparecidos.

Pelo menos três portugueses detidos por protestos contra Nicolás Maduro na Venezuela