Assumidamente, o eléctrico Leaf tem sido o modelo em que a Nissan mais tem apostado quando o tema são os automóveis ambientalmente mais compatíveis. Mas não significa isso que a marca japonesa não disponha de outras soluções interessantes deste domínio, como é o caso da tecnologia e-Power, actualmente disponível apenas no Japão, onde é aplicada no Note.

E o que é o Note e-Power? Basicamente, e como aqui já demos conta, trata-se de um eléctrico com extensor de autonomia, um híbrido em série, portanto, em que as rodas são sempre animadas por um motor eléctrico, funcionando o motor a gasolina de três cilindros e 1,2 litros apenas como gerador, a um regime constante, para recarregar a bateria quando a respectiva capacidade se esgota, permitindo seguir viagem sem necessidade de carregamento numa tomada de corrente externa. A componente eléctrica do sistema é, no essencial, a já conhecida do Leaf, com o modelo a anunciar um consumo médio de apenas 3,0 l/100 km segundo a norma de homologação japonesa.

O sistema dos veículos eléctricos à esquerda, como o Leaf, e a solução dos híbridos convencionais, como o Prius. Ao centro o e-Power da Nissan, similar aos restantes eléctricos equipados com extensor de autonomia, como o BMW i3 REX

Segundo Daniele Schillaci, vice-presidente da Nissan para as áreas de Marketing e Vendas, esta é uma “tecnologia que, nitidamente, pode ajustar-se” a todos os mercados-chave fora do Japão. “Estamos a pensar avançar rapidamente no domínio da electrificação, não só nos veículos puramente eléctricos, mas também com esta tecnologia e-Power”, antecipa. Tal não significa, contudo, que a sua introdução nos mercados de exportação seja feita através do Note, podendo ser eleito um modelo da marca com maior expressão de vendas fora do Japão.