Em poucos dias fora, Donald Trump já advertiu o mundo árabe contra o Irão, duas vezes, em dois países diferentes, dizendo que o país não pode nunca vir a ter armas nucleares. Uma mensagem forte contra o que o presidente dos EUA entende ser um estado financiador do terrorismo mas que acabou de re-eleger um presidente relativamente aberto ao ocidente.

Esta segunda-feira fez história ao visitar o Muro das Lamentações, que nunca nenhum presidente em funções tinha visitado. Elegantes, a sua mulher, Melania, e a sua filha, Ivanka, têm estado sempre ao seu lado e não usaram nem véu nem saias compridas na Arábia Saudita, um país fortemente conservador. A agenda para os próximos dias é um campo minado: do conflito israelo-árabe ao G7 passando pelos Acordos de Paris dos quais Trump pode querer retirar a primeira economia do mundo, esperam-se mais notícias e delicadas manobras diplomáticas.