A Coreia do Norte mostrou esta segunda-feira fotos da Terra tiradas por uma câmara instalada no míssil que lançou no domingo numa aparente tentativa para demonstrar que domina a tecnologia de reentrada na atmosfera.

Foi o Rodong Sinmun, diário oficial do Partido dos Trabalhadores no poder, que publicou dezenas de fotos a cores do lançamento do míssil misil Pukguksong 2, lançado este no domingo. Entre elas há várias imagens da Terra tiradas a grande altitude (o míssil alcançou uma altura máxima de 560 quilómetros).

Foi a primeira vez que o regime de Kim Jong-un mostrou imagens tiradas a partir de uma câmara instalada num dos seus mísseis. Peritos já disseram que cinco dessas fotos publicadas na página 3 do jornal parecem ter sido tiradas quando o míssil estava a fazer a sua reentrada nas camadas mais baixas da atmosfera. Até à data o regime de Pyongyang nunca tinha apresentado dados concretos sobre o desempenho dos seus projéteis na altura da “reentrada na atmosfera”, impedindo a avaliação das suas verdadeiras capacidades.

No início do ano, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, disse que estava muito avançado o desenvolvimento de um míssil intercontinental, com o qual poderia atingir os Estados Unidos. Esta declaração, e os insistentes testes de Pyongyang apesar das sanções das Nações Unidas, levaram o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a ripostar com declarações duras e a elevar ainda mais a tensão na península coreana com insinuações de que poderia realizar um ataque preventivo.