A ONU pediu esta segunda-feira à Coreia do Norte para “pôr fim aos testes” de mísseis balísticos que “ameaçam a segurança regional e internacional”.

É claro que a Coreia do Norte está a desafiar abertamente as resoluções do Conselho de Segurança ao intensificar as suas atividades balísticas”, afirmou o porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, em reação aos recentes disparos norte-coreanos.

Pyongyang deve igualmente “considerar o reatamento de um diálogo produtivo”. A Coreia do Norte afirmou esta segunda-feira ter disparado com êxito um míssil de médio alcance, apesar das sanções das Nações Unidas. As resoluções da ONU proíbem-na de qualquer atividade nuclear ou balística, e Pyongyang é neste momento alvo de uma série de sanções económicas que por exemplo os Estados Unidos querem reforçar.

A pedido de Washington, Seul e Tóquio, foi agendada para terça-feira uma reunião de emergência do Conselho de Segurança. Washington está também a negociar com Pequim, único aliado de Pyongyang, uma nova resolução visando aumentar a pressão sobre o regime comunista.

A Coreia do Norte realizou uma dezena de disparos de mísseis desde o início deste ano e avança a bom ritmo no sentido de produzir um míssil balístico intercontinental (ICBM) capaz de atingir com fogo nuclear o continente americano.