A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) entregou esta segunda-feira o pré-aviso de greve para os docentes do ensino artístico especializado, com incidência nas avaliações, a partir de 7 de junho.

A medida visa contestar a exclusão destes professores do processo de vinculação extraordinária. O assunto tem sido exposto pela federação sindical à tutela, tendo sido realizadas duas concentrações em frente ao Ministério da Educação para tentar sensibilizar os decisores políticos.

Na ausência de resposta, a Fenprof decidiu entregar o pré-aviso de greve, uma hipótese que esteve sempre presente nos últimos meses, nomeadamente na manifestação realizada no mês passado, em que os professores fizeram desfilar uma faixa com 550 metros pelas ruas de Lisboa, entre o Ministério da Educação e o parlamento.

“Caso a solução não surja, em 07 junho iniciar-se-á a greve nos conservatórios de Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Lisboa, no Agrupamento de Escolas da Bemposta (concelho de Portimão) e, ainda, nas escolas António Arroio (Lisboa) e Soares dos Reis (Porto)”, anunciou a Fenprof em comunicado. De acordo com a estrutura sindical, esta greve, numa primeira fase, poderá prolongar-se, “no mínimo, até 16 de junho”.