Catherine Macfarlane estava na Manchester Arena a assistir ao concerto da Ariana Grande e contou à Reuters que ouviu uma “explosão massiva” quando estava a dirigir-se à saída da Arena. “Toda a gente estava a gritar. Foi uma explosão enorme, tão grande que a sentias no peito. Foi caótico. Toda a gente estava a gritar e a tentar sair da área”, contou, citada pelo The Telegraph.

A Manchester Arena foi evacuada na sequência das explosões que ocorreram na noite desta segunda-feira e a polícia já confirmou a existência de várias vítimas mortais e feridos. As causas das explosões ainda não são conhecidas. Para Josh Elliot, que também estava a assistir ao concerto da cantora norte-americana, os feridos terão resultado do pânico que se sentia no local, “porque as pessoas queriam sair o mais rápido possível”, disse à BBC.

A testemunha das explosões disse que viu um rapaz coberto de sangue, uma mulher que estava ferida no chão e balões massivos que caíram durante uma das canções. “Pensei que provavelmente era apenas um balão, mas, ao mesmo tempo, em situações como esta, nunca sabes o que vai acontecer e o melhor é protegeres-te”, afirmou.

Oliver Jones, de 17 anos, também estava no concerto com a irmã mais nova e conta ao The Guardian que estava na casa de banho na altura da explosão “O barulho ecoou pela arena e as pessoas começaram a fugir. Vi pessoas a correr e a gritar numa direção e depois muitas viravam-se para correr para o lado oposto”, diz, sublinhando o “choque e o pânico”.

“Vês isto nas notícias a toda a hora, mas nunca esperas que te aconteça a ti. Tive apenas de correr e de me certificar que eu e a minha irmã estávamos a salvo”, contou.

A Jade Baynes, de 18 anos, foi a polícia que pediu que fugisse da área. “Ouviu-se apenas um barulho muito grande e toda a gente a tentar fugir. Ouviu-se logo um alerta que pedia às pessoas para terem calma e dairem do local o mais depressa possíivel”, contou a jovem ao The Guardian.

Um empregado de um bar perto da arena disse à Press Association que viu várias pessoas deitadas no chão cobertas de sangue e que viu várias pessoas com ataques de pânico e uma senhora com um ataque do coração. “Sentimos que se estava a passar qualquer coisa, mas não sabíamos o quê. Vimos uma rapariga a ter um ataque de pânico, outra lavada em lágrimas e uma mulher que teve um ataque cardíaco fora da arena”, afirmou o empregado. São vários os relatos que falam de caos no local.

Erin McDougle, de 20 anos, explicou ao The Guardian que, no momento da explosão, as luzes da Arena já estavam ligadas e que por isso as pessoas presentes perceberam logo que o barulho não fazia parte do concerto. “Primeiro, pensámos que era uma bomba. Havia muito fumo. As pessoas começaram a fugir. Quando saímos da arena, havia vários carros da polícia e algumas ambulâncias no local”.

O avô de Ellie Ward, jovem de 17 anos que estava a assistir ao concerto, também foi apanhado pela confusão à saída da arena, enquanto esperava pela net e uma amiga. O inglês de 64 anos ficou ferido com estilhaços de vidro. À jornalista do The Guardian, Ellie e a mãe contaram que o avô só percebeu o que se estava a passar depois de ter visto que estava a sangrar da cabeça.