A cosmética está em constante renovação, revolução e inovação. Descobrem-se os ingredientes mais estranhos e, de vez em quando, regressa-se aos primórdios. Tal como a dermatologista Yael Adler nos disse em entrevista, a nossa pele ainda acredita que está na Idade da Pedra. Como tal, continua a achar que a água é do melhor que lhe podemos dar. Não é, portanto, de estranhar que toda uma nova geração de cosméticos esteja a apostar na velhinha (e importante) água em linhas de cuidado e hidratação facial.

O corpo humano é composto por 6 por cento de água. Beber água ao longo do dia é do mais importante — isto não é novidade — porque, ao ser constituído maioritariamente por água, é precisamente isto que o corpo não pode dispensar. Basta uma perda de 0,5 por cento para termos imediatamente a sensação de sede. Quando se perde, por exemplo, 7 por cento, o corpo já se encontra gravemente doente e incapaz de funcionar como deve ser. No que toca à pele, cerca de 20 a 30 por cento estão na epiderme — qualquer coisa como cinco litros de água. Sempre que a pele perde água, perde hidratação, elasticidade e vitalidade. E aí está o lado grave desta perda: envelhece.

A geração de cosméticos à base de água

Um dos grandes lançamentos de 2017 em Portugal foi a chegada da primeira linha de cuidado facial da americana Neutrogena (que baseia os seus produtos numa fórmula norueguesa) que, até então, apenas tinha disponivel no nosso país cuidados de corpo, pés, mãos e lábios. Depois do sucesso nos Estados Unidos da América, a marca trouxe a linha Hydro Boost para Portugal: uma gama que hidrata todo o tipo de pele, mesmo nas condições mais extremas, e que renova os níveis de hidratação ao repor a água e fortalecer a barreira cutânea. A gama é composta por produtos de limpeza e cremes de rosto e contorno de olhos.

A seguir a mesma linha de inspiração, a L’Oréal Paris acabou de lançar no nosso país o Hydra Genius (já pode pedir uma amostra aqui), um cuidado líquido diário com água de Aloé para um efeito matificante e hidratação durante 72 horas. Inspirado na tecnologia coreana, este produto é como um impulso de água na pele e vai satisfazer principalmente as peles maltratadas, desidratadas e sensíveis.

Já a Clarins focou a sua investigação nos choques térmicos diários que a pele sofre e que podem chegar a 17 por dia (casa, rua, aquecedores, ares condicionados, transportes, ginásio e todas as variações de temperatura e de humidade) e o impacto que têm sobre a capacidade natural da pele para reter a água. Nasce assim a nova gama Hydra-Essentiel com flor-da-fortuna, uma planta com folhas repletas de água que se torna um poderoso ativador de hidratação. Esta planta também se chama de “folha de vida” porque, independentemente das diversas variações térmicas, as suas folhas permanecem repletas de água. Esta gama é constituida por vários cremes de rosto, um sérum e um fluído.

Acabado de chegar a Portugal, o novo Minéral 89 de Vichy tem, pela primeira vez, uma concentração de 89 por cento de água mineralizante Vichy e, assim, consegue reforçar a função de barreira para aumentar a resistência da pele contra as agressões diários como o stress, a poluição ou a fadiga. É um produto criado exclusivamente para as mulheres que vivem em ambiente urbano.

Dia 1 de Junho chega o Skin Infusion Cream de Sisley, uma nova textura inovadora “baume-en-eau” (bálsamo em água) em que o creme se transforma em partículas de água que penetram na pele para uma hidratação intensa, e para permitir uma absorção imediata dos seus ativos. Entre os seus benefícios encontra-se a flexibilidade, a luminosidade e a perda de traços de fadiga.

Na fotogaleria veja estas e outras novidades de cuidado de pele à base de água e que vão dar um boost de hidratação na pele mesmo nos dias mais quentes e secos do verão. É de referir que muitas marcas como Uriage ou Avène têm mesmo como base as propriedades dermatológicas da água termal.