Pessoas que bebem mais café têm menos probabilidade de sofrer de cancro do fígado, conclui um estudo realizado por investigadores das universidades de Southampton e Edimburgo, publicado na revista científica BMJ Open.

Depois de examinar dados de 26 estudos, que envolviam mais de dois milhões de pessoas, os investigadores chegaram à conclusão que o consumo de café – e até descafeinado – pode reduzir as hipóteses de contrair cancro do fígado. Beber um café por dia baixa, em cerca de 20%, o risco de cancro do fígado, sendo que beber dois reduz o risco em 35%, de acordo com o estudo publicado na revista BMJ Open.

Acredita-se que o café possui uma variedade de benefícios para saúde, e estas últimas descobertas sugerem que pode ter um impacto significativo no risco do cancro do fígado”, afirma o coordenador do estudo, Oliver Kennedy, da Universidade de Southampton.

Sabe-se ainda que, de acordo com as estatísticas, pessoas que bebem cinco cafés por dia vêem o risco reduzido para metade. Oliver Kennedy “não sugere que toda a gente comece a consumir cinco cafés por dia”. Admite ser necessária “mais investigação nas potenciais desvantagens do alto consumo de cafeína” e acrescenta que há evidências que este “deve ser evitado por certos grupos, como grávidas”.

Peter Hayes, professor na Universidade de Edimburgo, disse ao The Guardian que o café reduz o risco de cirrose e do cancro do fígado. “A nossa investigação reforçou que, em moderação, o café pode ser uma fantástica medicina natural”.